Tarifas de ônibus em Betim (MG) sobem 6,4% nesta quinta (01º)

Ônibus em Betim (MG)

Um dos motivos alegados pela prefeitura foram os constantes aumentos no preço do óleo diesel

ADAMO BAZANI

Passageiros do sistema de ônibus de Betim (MG) precisam estar atentos porque nesta quinta-feira, 01º de abril de 2021, as tarifas das linhas municipais terão aumento médio de 6,4%.

Os valores das tarifas variam de acordo com os serviços e formas de pagamento.

Confira os novos preços:

– Para pagamento via Betim Card, do sistema de bilhetagem eletrônica, passará de R$ 4,35 para R$ 4,65;

– Para pagamento em dinheiro, o valor passará de R$ 4,50 para R$ 4,80;

– O preço da tarifa para as linhas circulares passará de R$ 2,50 para R$ 2,65

O reajuste será em média de 6,4% e, segundo nota da prefeitura de Betim, tem relação com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com influência principal dos sucessivos aumentos do óleo diesel.

O poder público diz que não havia reajuste há quase um ano e três meses.

Por meio de nota, o diretor da Empresa de Transporte e Trânsito de Betim (Transbetim), Gilmar Mascarenhas, explicou que o aumento busca corrigir um déficit nos custos de operação do transporte coletivo, com gastos ficando maiores pelos sucessivos aumentos dos insumos, principalmente dos combustíveis.

“Para se ter ideia, só neste ano – de janeiro até a primeira semana de março -, o preço da gasolina para as refinarias de petróleo subiu cinco vezes. Acumulados, esses aumentos somam 41,5%. E não foi só a gasolina. O diesel, por exemplo, teve uma alta de 34,1%. Esses reajustes têm impacto direto na inflação, pois quase todos os setores do mercado precisam, direta ou indiretamente, de combustíveis”. – disse.

Mascarenhas também disse que o sistema em Betim não é subsidiado.

“Muita gente não sabe, mas não são as gestões municipais que arcam com o transporte coletivos das cidades. Nós definimos normas e padrões, mas não custeamos. A operação dessas empresas é custeada justamente pelas passagens pagas pelos usuários. Com a inflação e o aumento exorbitante dos insumos, fica impossível para o município impedir um reajuste nas tarifas”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta