Operadora ferroviária espanhola Renfe escolhe Alstom para fabricar 152 trens urbanos de alta capacidade

Contrato tem valor superior a 1,4 bilhão de euros e inclui ainda a manutenção de 56 trens por 15 anos

ALEXANDRE PELEGI

A operadora espanhola Renfe, uma das entidades públicas que explora a rede ferroviária da Espanha, assinou contrato com a Alstom para fabricar 152 trens urbanos de alta capacidade X’Trapolis.

O contrato tem valor superior a 1,4 bilhão de euros, o equivalente a R$ 9,6 bilhões.

O documento firmado entre as duas empresas inclui a manutenção de 56 trens por 15 anos, além do fornecimento de peças de reposição para a frota e um estoque inicial de peças de reposição.

Cada trem fabricado pela Alstom terá 100 metros de extensão e capacidade para 900 passageiros.

Como resultado dessa encomenda, a Renfe poderá transportar pelo menos 20% a mais de passageiros por hora em Madrid e Barcelona, onde os novos trens passarão a operar.

Os trens X’Trapolis terão uma mistura de vagões de um e dois andares, com o propósito de maximizar a capacidade e, ao mesmo tempo, atender aos requisitos de acessibilidade.

O presidente da Alstom Europa, Gian Luca Erbacci, disse sobre a assinatura do contrato com a Renfe: “Estamos imensamente orgulhosos de termos sido selecionados pela Renfe para fornecer esta grande frota de trens de última geração. Nossa solução é o resultado de uma longa experiência em design, engenharia e industrialização a nível global, e mais de 30 anos de fabricação de trens na Espanha. Além disso, nos orgulha o fato de mais de 80% dos nossos fornecedores serem empresas espanholas locais. O tamanho e a importância deste contrato testemunham a confiança e a segurança que foram construídas no relacionamento duradouro entre a Alstom e a Renfe”.

Os trens X’Trapolis terão várias portas de acesso e grandes salões, o que permitirá um fluxo eficiente de passageiros. O motivo é fazer com que os passageiros possam embarcar e desembarcar mais rapidamente, e assim os trens não precisem parar por tanto tempo nas estações.

Como resultado, a Renfe poderá aumentar a capacidade horária em uma linha, ao reduzir o tempo de permanência nas estações.

Os funcionários da Alstom investiram dois anos de trabalho no desenvolvimento deste modelo de trem, projeto supervisionado por especialistas na unidade de Santa Perpètua da empresa, perto de Barcelona, ​​bem como nos centros de excelência de Madrid.

Os trens serão fabricados na unidade de Santa Perpètua.

Outros países que operam unidades da Alstom X’Trapolis são Austrália, Chile, África do Sul e França.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Com informações do portal Railway News

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    A Alston é aquela mesma que no Brasil foi alvo de operações como Lava-Jato,Zelotes,ou sei lá quantas.Em caso de engano ou informação complementar,avisem,se possível.

  2. RENFE esta marca está nos trens que o Covas trouxe para SP para a linha 10

  3. Rodinei Campos da Silveira disse:

    Imaginem só a Alstom com essas máquinas circulando nas linhas da CPTM!

Deixe uma resposta