Projeto da Alesp quer colocar nome de Major Olímpio na Estação da Luz do Metrô

Senador por São Paulo eleito em 2018 com 9 milhões de votos, integrante da corporação da Polícia Militar, faleceu dia 18 de março de 2021 devido a complicações ocasionadas pela COVID-19

ALEXANDRE PELEGI

Um Projeto de Lei (PL) de autoria da deputada estadual Adriana Borgo (PROS), da Assembleia Legislativa de São Paulo, quer homenagear o Senador Major Olímpio, falecido no dia 18 de março de 2021 devido a complicações ocasionadas pela Covid-19.

O PL de nº 185 quer a denominação de “Estação Luz – Senador Major Olímpio” à atual Estação Luz que integra as linhas 1-Azul, operada pelo Metrô de São Paulo, e 4-Amarela, operada pela ViaQuatro. Esta última é o atual terminal no sentido leste da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô.

Major Olímpio foi eleito Senador em São Paulo com 9.039.717 votos em 2018 pelo PSL, partido que elegeu Jair Bolsonaro à presidência da República.

Apesar de ter sido um dos expoentes da campanha à presidência, Olímpio se afastou do governo Bolsonaro após uma série de discordâncias, sobretudo em temas de combate à corrupção.

O que causou forte reação de muitos políticos foi o fato de Bolsonaro não ter feito qualquer manifestação de pesar sobre a morte de seu antigo aliado.

Na Justificativa do PL, a deputada destaca que a Estação Luz tem como referência o Quartel da Luz, Batalhão de Polícia Militar Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, o maior batalhão da Polícia Militar do Brasil.

Esse fato, segundo a autora da propositura, reforça a ligação com o senador recém-falecido, que foi integrante da corporação da Polícia Militar do Estado de São Paulo por 29 anos. Nascido em 1962 em Presidente Venceslau, interior paulista, ele foi ainda presidente da Associação Paulista dos Oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo e diretor da Associação dos Oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Formado bacharel em ciências jurídicas e sociais, jornalista, professor de educação física, técnico em defesa pessoal, instrutor de tiro e autor de livros voltados para a questão da segurança, Major Olímpio foi condecorado com a Medalha do Pacificador pelos relevantes serviços prestados à sociedade. No dia 18 de março de 2021 teve morte cerebral em São Paulo, devido a complicações ocasionadas pela Covid-19, deixando esposa e dois filhos.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Horino disse:

    Mais uma que está lá para não fazer nada pela população.
    Quer fazer homenagem? Faça onde irão construir algo novo.
    Não gastando dinheiro em troca de placas sinalizadoras e afins!
    É lamentável a morte de dele? Sim, assim como outras mortes, porém um dos seus deveres é preocupar em fazer PLs que beneficiam a população!

  2. Ela deveria sim nomear a região do quartel da PM que é na verdade estação Tiradentes, na Rodolfo Miranda, perto do COPOM, da Rotam, tropa de choque, já proximo da ROTA, e não na Luz ….
    Errou na pontaria

  3. Carlos Silva disse:

    Que baita falta do que fazer…

  4. Moises disse:

    Quer dizer que ao invés de elaborarem leis para pararem de mudar nomes de estações irresponsavelmente e contra todos os significados técnicos, eles querem agora transformar políticos mortos em deuses???

    Essas coisas só multiplicam mais e mais meu enojamento pelos políticos. E tudo isso em meio ao caos dessa crise e ainda com o intuito de homenagear um senador que contraiu o vírus por se portar como um negacionista ao participar de um protesto aglomerado contra o lockdown. VERGONHA.

    1. Dênis Douglas disse:

      Existe sim um PL, mas como o autor deixou de ser tucano, ninguém vota…

Deixe uma resposta