ANTT conclui operação na Dutra (RJ) com apreensão de 20 ônibus a serviço da Buser

Ação encerrou nessa sexta, 19 de março de 2021, e teve foco no combate ao transporte clandestino de passageiros em Itatiaia (RJ),  na BR-116 (Via Dutra)

ALEXANDRE PELEGI

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) encerrou nessa sexta-feira, 19 de março de 2021. mais uma operação de combate ao transporte clandestino de passageiros.

Realizada em Itatiaia, no Rio de Janeiro, na BR-116 (Via Dutra), a ação foi iniciada na terça-feira, 16 de março, como uma etapa da Operação Pascal 2021.

Com apoio da Polícia Rodoviária Federal, os agentes da ANTT apreenderam, somente nessa sexta-feira, mais cinco ônibus de empresas de turismo que operavam a serviço da Buser. Eles foram flagrados enquanto realizavam serviço de linha (circuito aberto-com venda de passagens), sem autorização da ANTT.

Na operação de ontem foram apreendidas ainda duas vans e um microônibus, que realizavam viagem interestadual de passageiros sem autorização da ANTT.

Dentre as pricipais irregularidades encontradas na operação dessa sexta, os fiscais relataram a presença de extintor de incêndio vencido, pára-brisa trincado, além do transporte irregular de passageiros.

Os veículos apreendidos ontem realizavam os seguintes trajetos:

Rio de Janeiro/RJ x São Paulo/SP (van)

Resende/RJ x São Paulo/SP (van)

Quixaba/PE x São Paulo/SP (microônibus)

São Paulo/SP x Niterói/RJ (ônibus a serviço da Buser)

Rio de Janeiro/RJ x São Paulo/SP (dois ônibus a serviço da Buser)

São Paulo/SP x Rio de Janeiro/RJ (dois ônibus a serviço da Buser)

No total, 205 passageiros foram retirados do transporte irregular e realocados para empresas regulares. Os custos dos bilhetes foram pagos pelas empresas infratoras, como determina a legislação.

BALANÇO DA OPERAÇÃO

Em nota encaminhada ao Diário do Transporte, os fiscais da ANTT relatam que durante toda a operação não só a fiscalização da ANTT como os policias da Polícia Rodoviária Federal foram intimidados por advogados que se apresentavam como representantes da empresa Buser.

Os supostos advogados, segundo relatam os fiscais, “estavam sempre de forma exaltada, tumultuando e dificultando a fiscalização no ponto de abordagem, colocando em risco a segurança dos servidores que estavam exercendo suas funções, dos veículos fiscalizados, dos passageiros, condutores e dos próprios advogados que insistiam em permanecer no local”.

No total da operação foram apreendidos 23 veículos, sendo 20 ônibus a serviço da Buser, com 645 passageiros retirados do transporte irregular e realocados para empresas regulares.

OUTRO LADO

O Diário do Transporte solicitou à empresa de aplicativos Buser para que se manifestasse quanto aos fatos citados na matéria.

Leia a nota encaminhada à redação:

Nota da Buser

Ao mesmo tempo em que lamenta as inúmeras apreensões realizadas em descumprimento de decisões judiciais, a Buser reafirma sua posição de luta intransigente contra o abuso do poder econômico que centraliza o transporte rodoviário de passageiros nas mãos de poucos e poderosos grupos econômicos e a lamentável atuação de agentes de fiscalização, que deliberadamente agiram de forma a constranger passageiros e motoristas para impor uma narrativa de transporte clandestino aos fretadores.

Jamais aceitaremos que maus profissionais se escondam atrás do escudo estatal para perpetrar abusos, como o de autoridade e o desrespeito reiterado à decisões judiciais, causando grandes prejuízos não apenas aos pequenos e médios empresários do setor de transporte fretado, como ao próprio erário, uma vez que as multas impostas pelo Poder Judiciário contra a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, pelas reiteradas apreensões ilegais, já ultrapassam centenas de milhares de reais, que ao final serão pagos pelos contribuintes e não por aqueles que munidos do poder estatal, ultrapassam dos limites no exercício de suas funções.

Assessoria de Imprensa da Buser

PRÁTICA IRREGULAR

A prática irregular é constante de empresas contratadas por aplicativos de ônibus, afirma a ANTT em nota. “Elas solicitam licença para fazer Turismo e, na prática, ‘fazem linha’ (venda de passagens) apresentando a licença de turismo na tentativa de enganar a fiscalização e os usuários , que imaginam estar em uma viagem legalizada”.

“A fiscalização alerta que veículos autorizados para realizar linha embarcam e desembarcam em terminais rodoviários e emitem bilhetes de passagens que são documentos fiscais. Já veículos que possuem licença para fazer “turismo” não podem embarcar em terminais rodoviários, não podem emitir bilhetes de passagens e viajam com uma licença de viagem com uma lista com os nomes dos passageiros que vão e voltam juntos na mesma viagem. Portanto, empresas que vendem apenas o trecho de ida e possuem lista de passageiros são considerados clandestinos e estão passíveis de apreensão”, segue a nota da ANTT .

A Operação Pascal foi criada pela Agência em 2020 com o objetivo de combater o transporte rodoviário interestadual de passageiros não autorizado pela ANTT.

A fiscalização alerta para o perigo de viajar em veículos sem autorização considerados ‘’clandestinos’’, ofertados pela internet ou por aplicativos.

Os passageiros podem verificar na Ouvidoria da ANTT se as empresas são autorizadas a fazer linha ou apenas possuem uma licença para fazer Turismo. Seguem os canais da Ouvidoria para dúvidas e denúncias:

Whatsapp (61) 99688-4306; telefone 166 (24 horas); e o e-mail ouvidoria@antt.gov.br

Imagens captadas durante a operação e encaminhadas pela ANTT:


 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. João Luis Garcia disse:

    Clandestino merece punição
    Seja quem for
    A ANTT tem que caçar a licença dessas empresas para que não venham mais viajar
    E esses ditos advogados a OAB deveria puni-los para que não venham mais intimidar os agentes fiscalizadores

  2. Renato Ortigas disse:

    Eita tem até um DD da Livre Transportes uma empresa do ABC, que pena , não adianta trabalhar errado no momento de desespero da pandemia , lamentável .

  3. Emerson Silva disse:

    A ANTT e comprada pelo monopólio das grandes empresas que não deixa os pequenos trabalhar.

    1. Jacqueline disse:

      Falou tudo

  4. Moacyr disse:

    Nuncá vi a ANTT fiscalizar os ônibus da útil monopólio que faz bhte a região dos lagos a anos e cobra um valor abusivo com péssimos ônibus cadê a fiscalização e para poucos

  5. André Oliveira disse:

    A péssima qualidade dos ônibus da rodoviária e o preço absurdo das passagens que deveriam ser analisados pela ANTT. Raro um busão de rodoviária ser tão bom ou melhor que os ônibus da buser. A passagem na rodoviária é um absurdo de cara, e os ônibus são de péssima qualidade. A ANTT deveria se preocupar com isso, e não em ferrar a vida das pessoas que viajam com a buser. Ridículo a fiscalização prejudicar a população em prol das porcarias de empresas que estão na rodoviária oferecendo um serviço tão porco que chega a ser crime. Sobre o extintor vencido aí sim é algo a se preocupar. Não concordo em prejudicar os passageiros da buser. Tirar uma empresa que oferece ótimos ônibus de viagem com bons preços como a buser pra favorecer as porcarias que tem na rodoviária é tenso.

  6. Roberto Cheloni disse:

    Eu gostaria de saber porquê dessa perseguição a essas empresas.
    Eu já viajei algumas vezes nesses ônibus da Buser e foram viagens tranquilas.
    Porém o preço da passagem é um terço da Águia Branca.
    O povo brasileiro sofre com esses cartéis de exploradores.
    Que Deus tenha misericórdia dos pobres!

  7. Marcos Gonzalez disse:

    Claramente a serviço do poder econômico e ainda arrasta a PRF, usada, lamentável!

  8. Jacqueline disse:

    Pois já viagei com a Buser, ônibus melhor mais confortável manutenção em dia. Minha filha foi com a contigoo, banheiro fedendo o ônibus todo o ar estragado. Sem conforto algum, e CD a ANTT para fiscalizar.

  9. Gustavo Godoy disse:

    Fiscalização realizada por vagabundos comprados e com certeza estão a mando dos monopólios que prestam um serviço vergonhoso… Brasil sendo Brasil por parte das autoridades.

  10. Victor disse:

    Acredito que para aprender 20 veículos e apenas da Buser,aí tem coisa meus amigo e é peixe grande, sempre viajo pela Buser e não tenho que reclamar conforto segurança e total credibilidade, já outras empresas que são conhecidas já me decepcionei muito com o descaso que fazem com os passageiros fora o valor que é um absurdo ,porém veículos mal cuidados sujeira falta de serviços essências como tomada para carregar aparelhos celular internet banheiro um nojo, muitas empresas de viação Conhecidas estão perdendo clientes para Buser que além de respeitar os clientes colocam carros em condições excelentes para os seus clientes, e a única forma dessas grandes empresas derrubarem a Buser é pagando promotores de justiça corruptos e fazendo operações como está que usam o abuso de poder para poder tomar ao menos vinte veículos, mas eu tenho certeza que a Buser não irá ficar por baixo disso não.

  11. Victor disse:

    Porque a ANTT não fiscaliza outras empresas como Catedral Real Expresso Gontijo, são empresas que além de explorarem no valor da passagem o serviço é de péssima qualidade,gostaria de deixar minha resposta a PRF e a ANTT, tem Peixe Grande aí nessa operação e com certeza a intenção é tirar a Buser de circulação,mas isso não irá acontecer.

  12. Josué disse:

    Olha pegar traficantes de arma ;drogas ,até msm tráfego humano a PRF não vai ne agora perseguir quem está trabalhando na aí na o dinheiro e nosso portanto eu escolho onde eu quero viajar.
    Mas aqui no Brasil aos poucos estão implantado a famosa ditadura ,e diziam que quem ideia implantar seria o presidente que esta ai ,pelo visto não é ele sim as autoridades neste país.

  13. Carla Ferreira Pires disse:

    Deveria fiscalizar os ônibus precários que as empresas regulamentadas dispõem. Não caçar brecha para punir quem apenas quer trabalhar. O passageiro compra a passagem aonde quiser. Ninguém obriga ninguém a nada. ANTT faz parte de um monopólio… Fechando os olhos para quem paga mais. A Buser é um “Uber” de ônibus. Os taxistas tbem criaram caso quando a Uber chegou. Não desista Buser.

  14. Marcelo disse:

    Em um momento tão crítico, onde não podemos pagar uma passagem de ônibus que sai de rodoviárias que além de ser um absurdo não tem qualidade e fazem mais paradas do que andam , uma viagem de 10 horas na buser demora 17 horas nos dá rodoviária além de ser um preço absurdo. Vou de buser !!!rápido, bom preço justo nao para toda hora, me atrasei perdi a viagem, reagendaram outra sem burocracias. Em fim vou de BUSER ÓTIMA EMPRESA NAO TENHO NADA QUE OS DESABONE.

  15. Macario disse:

    Realmente a buser da de mil a zero nas chamadas empresas legalizadas!!! Legalizadas para roubar os passageiros, legalizadas para oferecer um serviço porco sem conforto, legalizadas para não ser fiscalizadas!!! Infelizmente o abuso de poder vai continuar existindo neste país e quem sofre as consequências somos nós, a buser oferece melhor serviço, da gosto viajar com está empresa muito conforto e segurança coisa que as legalizadas não tem!!! Mas fazer o que isto e Brasil e a ANTT e uma entidade !!!

  16. Renata disse:

    Eu amo os ônibus da Buser, ja viajei com eles, eles são muito confortáveis e tem uma distância muito boa entre cada passageiro, os motoristas, todos eles da Buser sempre atenciosos e muito educados, não tem outro ônibus que se compare com os preços dele é excelente, Brasil acorda, temos que sair dessa, ANTT, por acaso ja viram, ja viajaram com eles, ja perguntou para as pessoas que viajam com a Buser, o que acharam?
    A Buser merece meu respeito estão de parabéns.
    ANTT revisem, revisem achei desnecessário.

  17. Paulo disse:

    Só uma observação, a buser, como a Uber, traz modernidade e preços justos, este papo de clandestino e irregular não se sustenta mais, acredito que o poder não se deve emanar do estado com suas licenças, e sim do povo.

  18. Maria das Graças Pereira Duarte disse:

    Na minha opinião as grandes empresas de ônibus manopolizam o trasporte rodoviário acho que deveriam legalizar essas empresas já viajei e gostei muito os ônibus são ótimos confortáveis os ônibus da buser acho que os impostos rodoviários são muito caros então acho que seria o caso de abaichar e que todos poderiam oferecer passagens com um bom preço a todos a competição seria mais justas

  19. Simone disse:

    Se fosse ônibus de bate e volta. Ou especial. Tudo bem. Mas, a Buser. Tem gente ganhando nessa palhaçada.

Deixe uma resposta