Rio de Janeiro abre contratação emergencial para diagnóstico de necessidades de manutenção dos ônibus do BRT

Ônibus do BRT Rio pega fogo após pane em 24 de fevereiro de 2021 entre as estações Magarça e Mato Alto, sentido Alvorada

No início do mês, Eduardo Paes anunciou intervenção no sistema de corredores e cancelamento da atual concessão das empresas

ADAMO BAZANI

A secretaria de Transportes da cidade do Rio de Janeiro publicou nesta sexta-feira, 19 de março de 2021, procedimento para contratação emergencial de empresa especializada na realização de inspeção e diagnóstico de necessidades de manutenção

de ônibus do Sistema BRT.

A pasta pede que as companhas interessadas mandem até o dia 23 de março de 2021, cotações do valor do trabalho para os emails: gil.smtr.rio@gmail.com  ou ads.smtr.rio@gmail.com , de modo a possibilitar a elaboração de proposta de preços.

As condições da frota atual, em especial por causa de problemas estruturais dos corredores, estão entre os principais problemas relatados pelos passageiros.

Ar-condicionado que não funciona, portas que não fecham, partes da lataria e da forração interna com danos, pneus e rodas que se soltam, superaquecimento de motores com até ônibus pegando fogo são alguns dos problemas que o Diário do Transporte acompanhou nos últimos meses.

A reportagem mostrou que em 03 de março de 2021, o prefeito Eduardo Paes anunciou a intervenção no sistema de BRT (ônibus de trânsito rápido) da capital.

Também será alvo da intervenção a bilhetagem eletrônica.

Assim, a gestão e operação dos serviços serão de responsabilidade da prefeitura.

As atuais operadoras serão retirasas da concessão do sistema de BRT e da bilhetagem eletrônica.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/03/paes-anuncia-intervencao-no-brt-do-rio-e-bilhetagem-nova-licitacao-sera-feita/

A Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) informou que concluiu no início de fevereiro o estudo sobre a frota de BRTs disponível e as condições dos veículos articulados, e irá monitorar essas informações mensalmente. O objetivo foi avaliar as condições para dar maior regularidade ao serviço e mitigar as aglomerações, como explicou a pasta em nota no final daquele mês.

A análise dos dados de janeiro revelou que, nos dias úteis de janeiro, houve queda contínua da quantidade de ônibus em circulação na cidade. A situação da frota do BRT se agravou muito nos últimos quatro anos. Atualmente, a frota operante corresponde a menos da metade da frota determinada que também precisa ser atualizada em função do contexto de pandemia. A análise foi realizada com base em dados operacionais fornecidos pelo BRT e complementada com um esforço da SMTR para a retomada da análise dos dados de GPS de ônibus e BRTs da cidade, que permitem monitorar o posicionamento dos veículos por satélite, e o acompanhamento online da frota em circulação.

Fiscais da SMTR também fizeram vistorias em 136 estações de BRT e nas garagens dos ônibus articulados. Foram encontrados apenas 199 veículos, em vez dos 413 estipulados na frota determinada. Os dados foram discutidos com o BRT Rio. A empresa alega que a frota disponível no fim de 2020 era de 306, sendo que 8 foram queimados, 94 estão parados por falta capacidade financeira para a manutenção.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Ele é do partido que faz parte do time que prega o estado mínimo,sem falar que ele(Paes é alvo de denúncias de corrupção.É a falência moral do RJ,do Brasil e do mundo

Deixe uma resposta para carlos souza Cancelar resposta