Quantidade de passageiros em Curitiba cai 21% no primeiro dia útil de bandeira vermelha, diz Urbs

Ônibus biarticulado em Curitiba

Foram 248.220 passageiros na segunda (15) contra 314.032 da segunda (08)

ADAMO BAZANI

A demanda de passageiros dos ônibus municipais de Curitiba caiu 21% nesta segunda-feira, 15 de março de 2021, primeiro dia útil da bandeira vermelha contra a covid-19 que entrou em vigor no sábado, 13 de março de 2021, em relação à segunda-feira anterior, 08 de março de 2021.

O dado foi disponibilizado na tarde desta terça-feira, 16 de março de 2021, pela Urbs (Urbanização de Curitiba S.A.), responsável pelo gerenciamento do sistema.

Ainda de acordo com a Urbs, enquanto que no dia 08 os ônibus municipais da capital paranaense transportaram 314.032 passageiros, no dia 15, foram 248.220 usuários, ou seja, em torno de 66 mil pessoas que deixaram de circular nos coletivos.

O decreto n° 565/2021, que institui a fase vermelha, determina o funcionamento apenas de atividades essenciais com horários reduzidos. As regras de restrição valem até domingo, 21 de março de 2021.

Ainda de acordo com o decreto, os ônibus só podem circular com 50% da capacidade; antes da bandeira vermelha eram 70%.

Além disso, os coletivos só podem deixar os terminais com até 30% de ocupação para que os 50% sejam alcançados durante o trajeto.

Em nota, o presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto, diz que não houve redução de frota e que a demanda será monitorada para eventuais ajustes.

“O movimento no primeiro dia foi tranquilo, mantivemos a frota que vinha circulando de cerca de mil veículos e 100% nas principais linhas. Mas esperávamos uma queda mais expressiva do número de passageiros, já que só podem funcionar os serviços essenciais.  Vamos acompanhar se nos próximos dias cresce a taxa de isolamento e se teremos uma maior redução na circulação de usuários no sistema “, acrescentou.

De acordo com a gerenciadora, a frota foi configurada para atender 450 mil passageiros por dia, em torno de 200 mil a mais do que a demanda verificada nessa segunda-feira (15/3) e poderá colocar carros extras se for necessário, para manter a ocupação máxima de 50%.

Maia Neto explicou que o limite de 50% não significa que os ônibus só circularão com passageiros sentados.

“Em um ônibus biarticulado, por exemplo, a ocupação de 50% equivale a 126 passageiros no veículo (53 sentados e 73 em pé). Nos articulados, são 100 passageiros ( 40 nos bancos e 60 em pé)”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta