Governo do ES suspende passe escolar e informa que Transcol vai continuar operando com 100% da frota

Ao todo, são feitas mais de 20 mil viagens por dia. Foto: Jordan Andrade / Ceturb-ES.

Suspensão fica em vigor por 14 dias, devido à pandemia de covid-19

JESSICA MARQUES

O Governo do Estado do Espírito Santo informou, em nota, que vai suspender o passe escolar por 14 dias e que o Transcol vai continuar a operação com 100% da frota circulando, incluindo os veículos com ar-condicionado. Atualmente, são quase 1.500 veículos e mais de 20 mil viagens por dia. A decisão foi tomada após um anúncio do governo de 14 dias de quarentena para conter a pandemia de covid-19.

As informações sobre o Transcol foram divulgadas por meio da Semobi (Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura). A Pasta ressaltou que a decisão de manter toda a frota operando foi tomada mesmo com a queda brusca de passageiros prevista com as restrições para o funcionamento de diversas atividades no Estado.

O Transcol vem operando com 100% da frota desde outubro, mesmo transportando cerca de 70% de passageiros do período pré-pandemia, ainda segundo o governo. A Semobi ressalta ainda que todas a medidas são avaliadas constantemente e que a implantação de novas ações não está descartada.

“O sistema de transporte público é essencial e precisaremos manter a operação para garantir que os trabalhadores dos serviços essenciais possam ir e voltar de seus postos de trabalho, com o distanciamento necessário, sobretudo neste momento em que a pandemia chega a um momento crítico”, disse o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno.

A suspensão por 14 dias do uso do passe escolar, por sua vez ,foi justificada pelo fato de que os estudantes devem permanecer em casa neste período, com a suspensão das aulas presenciais.

Também em nota, a Semobi informou que desde março de 2020 vem adotando um protocolo com mais de 40 ações para reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus no sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana (Transcol).

“É muito importante que todos façam a sua parte ficando em casa e, em caso de necessidade de utilizar o transporte coletivo, seguir os protocolos de segurança do transporte público: usar a máscara, higienizar as mãos e usar o aplicativo de previsão de horários (ÔnibusGV ) para evitar aglomerações em pontos e terminais.”

“As medidas implantadas no Sistema Transcol continuarão a ser realizadas rotineiramente, enquanto durar a pandemia. São elas: reforço na higienização dos coletivos; higienização e desinfecção diária nos terminais, álcool gel para passageiros nos terminais; obrigatoriedade do uso de máscaras para passageiros e colaboradores do sistema; Botão de denúncia de lotação e não uso de máscara no aplicativo ÔnibusGV, que também conta a função que mostra a lotação em tempo real dos coletivos (em implantação e já disponível em 400 veículos da frota); orientação para deslocamento do horário de funcionamento a diversos setores econômicos para diluir a demanda no transporte, entre outras.”

MEDIDAS RESTRITIVAS

O Governo do Estado anunciou, nesta terça-feira, 16 de março de 2021, a adoção de novas medidas restritivas visando o enfrentamento ao coronavírus no Espírito Santo.

Assim, a partir desta quinta-feira (18) até o próximo dia 31, fica suspenso o funcionamento de quaisquer serviços e atividades, à exceção dos considerados essenciais – previstos nas Medidas Restritivas em Favor da Vida. As medidas anunciadas pelo governador Renato Casagrande são válidas para todo o território capixaba no período de 14 dias.

“É muito ruim assistir aos estados entrando em colapso. Abrimos leitos e vamos continuar abrindo, mas temos um limite: tanto de profissionais de saúde, quanto de medicamentos e insumos. Estamos fazendo um trabalho para organizar a gestão dos leitos e atender o capixaba com dignidade. Será um período difícil, mas necessário. Por isso, precisamos da ajuda de todos. São medidas que atingem todos os 78 municípios para tentar reduzir essa interação das pessoas e reduzir a taxa da ocupação dos leitos”, afirmou o governador.

Casagrande concordou que as medidas afetam as atividades comerciais, contudo, a adesão da sociedade como um todo às medidas poderá tornar ainda mais efetivo o enfrentamento à pandemia. “Sei que as medidas afetam o comércio, o setor de eventos. Mas quantas pessoas estão fazendo festas clandestinas, interagindo sem necessidade? É preciso contar com o apoio das pessoas equilibradas. Estamos vivendo em um momento de disputa eleitoral sem necessidade. O que eu quero é preservar vidas. Preciso contar com a ajuda dos municípios, das entidades, dos setores empresariais. Não podemos relaxar agora e é muito importante estarmos unidos neste momento”.

São classificadas como atividades essenciais:

1 – Assistência à saúde, incluindo serviços médicos e hospitalares;

2 – Serviços públicos considerados essenciais, de acordo com manifestação do Poder, Órgão ou Entidade;

3 – Atividades industriais;

4 – Assistência social e atendimento à população em situação de vulnerabilidade;

5 – Atividades de segurança pública e privada, incluindo a vigilância, a guarda e a custódia de presos;

6 – Atividades envolvendo produtos de saúde, higiene e gêneros alimentícios, incluindo atividade agropecuária, farmácias, comércio atacadista, hipermercados, supermercados, minimercados, hortifrútis, padarias e lojas de produtos alimentícios;

7 – Atividades envolvendo equipamentos de infraestrutura, instalações, máquinas e equipamentos em geral, incluídos elevadores, escadas rolantes e equipamentos de refrigeração e climatização;

8 – Atividades envolvendo insumos necessários aos serviços essenciais, incluindo lojas de insumos agrícolas e lojas de material de construção civil;

9 – Comercialização de produtos e serviços de cuidados animais;

10 – Geração, Transmissão e Distribuição de energia elétrica;

11 – Transporte público coletivo; de passageiros por táxi e transporte privado urbano por meio de aplicativo, para atendimento a serviços e atividades essenciais;

12 – Casa de peças e oficinas de reparação de veículos automotores;

13 – Telecomunicações, internet, serviços relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados (data center) para suporte de outras atividades essenciais;

14 – Serviços funerários;

15 – Agências bancárias, casas lotéricas e serviços postais;

16 – Atividades da construção civil;

17 – Atividades de petróleo, combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados de petróleo, incluindo postos de combustíveis, produção, transporte e distribuição de gás natural;

18 – Serviços de distribuição de água, incluindo distribuidoras de água a granel ou envasada;

19 – Atividades de jornalismo e serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens;

20 – Serviços de limpeza urbana e coleta de lixo;

21 – Hotéis, pousadas e afins, limitada a 50% (cinquenta por cento) de sua capacidade;

22 – Atividades, de igrejas e templos religiosos, com cultos e missas, preferencialmente, virtuais, respeitado o atendimento individual;

23 – Atividade, de pesca no mar; e

24 – Atividade, de locação de veículos.

Fica proibido o atendimento ao público presencial nos serviços e atividades essenciais aos domingos e feriados, exceto: farmácias, postos de combustíveis, assistência à saúde, assistência social e atendimento à população em situação de vulnerabilidade, serviço funerário e transporte público coletivo e de passageiros.

O enquadramento como atividade essencial, para efeitos do Decreto, ocorrerá com base na atividade preponderante realizada pelo estabelecimento, não se aplicando para esse fim a Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE).

No período de quarentena, também ficam proibidas as reuniões, excetuadas as pertencentes ao mesmo núcleo familiar, incluindo quaisquer tipos de eventos sociais; a utilização de praças, parques, jardins públicos, campos públicos de futebol, quadras públicas de esportes públicas, ginásios públicos de esportes e outros espaços públicos equivalentes; e a realização de atividades físicas coletivas nas áreas e vias públicas.

O Governo do Estado recomenda que as igrejas e os templos religiosos transmitam seus cultos e missas, de forma preferencial, por meio virtual. Os administradores e síndicos de condomínios verticais e/ou horizontais deverão limitar a utilização simultânea das áreas de uso comum de lazer para os moradores do mesmo núcleo familiar.

As pessoas devem continuar a adotar medidas de proteção e higiene, além do uso de máscaras fora do ambiente residencial. Os Municípios deverão proceder a orientação/conscientização para o isolamento social e distanciamento social (Disque Aglomeração), além de efetuar abordagem às pessoas, proceder a comunicação social, por meio de rádio, carros de som e outros, monitorar casos suspeitos e infectados, além de expedir determinações a respeito do isolamento social com intervenção local.

Os estabelecimentos não essenciais deverão manter fechados os acessos do público ao seu interior e está proibido o atendimento ao público externo no interior ou na porta, com ou sem horário marcado. Estão proibidos ainda o funcionamento de clubes de serviço e de lazer, de academias de qualquer natureza, bem como a realização de atividades esportivas de caráter coletivo, ainda que sem a presença de público.

Fica admitido o atendimento presencial em concessionárias prestadoras de serviço público realizado, mesmo que não consideradas como essenciais, mediante prévio agendamento e desde que não haja a possibilidade de atendimento por outro canal. Será mantida 100% da frota de ônibus do sistema de transporte coletivo metropolitano. No período de 14 dias, fica suspensa a utilização do passe-escolar no Sistema Transcol.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta