Funcionários da Caio aprovam novo Acordo que combina redução salarial e manutenção de empregos

Acerto com o Grupo, aprovado em Assembleia por todos os colaboradores, entrou em vigor nessa quarta-feira, 10 de março, e terá 120 dias de duração

ALEXANDRE PELEGI

O Grupo Caio, o maior empregador da região de Botucatu, interior de São Paulo, aprovou nessa segunda-feira, 08 de março de 2021, um Novo Acordo com seus colaboradores.

A proposta foi necessária, de acordo com a empresa, diante da lenta recuperação do mercado, “que impacta diretamente em nossas vendas e produção”.

Participaram da aprovação da proposta os trabalhadores das empresas do grupo: Caio (fabricante de ônibus) unidades Botucatu e Barra Bonita; Fiberbus (compósitos); Tecglass (vidros); CEAC (Centro Administrativo Caio).

O objetivo primordial, de acordo com o Grupo de indústrias, foi combinar a manutenção dos empregos o quanto possível e da saúde financeira das empresas, esforço semelhante ao realizado em 2020, primeiro ano da pandemia de Covid-19.

O novo acordo aprovado, e que passou a vigorar nessa quarta-feira (10), terá duração de 120 dias, até 07 de julho. Ele prevê a redução de jornada e salário mensal máxima em até 30%, para todos os colaboradores, e ainda uma escala alternada de trabalho.

Além disso, os colaboradores de todas as empresas do Grupo receberão a primeira parcela do 13º salário, dividida nos quatro meses do Acordo, como forma de complementação do valor mensal recebido.

O Acordo prevê ainda a estabilidade dos empregos e a manutenção dos benefícios (plano de saúde e odontológico) para todos os colaboradores.

O Grupo Caio avisa ainda que em caso de aumento de programação de produção, os colaboradores poderão ser submetidos a períodos em que a redução de jornada de trabalho e salário serão menores.

Por fim, a empresa cita a eventualidade de o Governo Federal apresentar, nas próximas semanas, uma Lei relacionada ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm). Caso isso ocorra, o Grupo analisará o Programa e verificará se este se adequa ao cenário do Grupo.

Em nota distribuída à imprensa, o Grupo Caio ressalta que em 2020 realizou diversos Acordos e aderiu também ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), sempre na perspectiva de manutenção dos empregos de seus colaboradores.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta