Terminal Sacomã passa a ter Posto de Apoio à Mulher e ônibus recebem adesivação contra abuso sexual pela SPTrans

São cerca de 200 ônibus com o logotipo da campanha

Funcionamento do posto é de segunda a sexta, das 10 h às 16 h e atendimento será direcionado a mulheres vítimas de abuso sexual e violência doméstica

ADAMO BAZANI

A partir desta segunda-feira, 08 de março de 2021, Dia Internacional da Mulher, entra em funcionamento um Posto de Apoio à Mulher no mezanino do Terminal de Ônibus Sacomã, do Expresso Tiradentes, na zona sudeste da capital paulista.

O funcionamento será de segunda a sexta-feira, das 10 h às 16 h para mulheres vítimas de abuso sexual e violência doméstica.

O atendimento é gratuito e realizado por assistentes sociais da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) da Prefeitura de São Paulo e em um local com cerca de 5 metros quadrados incluindo uma sala reservada para manter o sigilo.

O trabalho também conta com a parceira da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) e São Paulo Transporte (SPTrans), responsáveis pelo terminal de ônibus.

Há também no local um espaço com livros infantis e material para crianças, enquanto a mulher for atendida.

É o primeiro posto deste tipo em terminal municipal de ônibus da capital paulista.

ÔNIBUS ADESIVADOS E CAMPANHA

 

Simultaneamente à inauguração do posto, a Secretaria de Mobilidade e Transportes e a SPTrans lançaram nesta segunda-feira a campanha “Ponto Final ao abuso sexual nos ônibus de São Paulo”.

Para divulgar a ideia de participação de toda a sociedade contra o problema, cerca de 200 ônibus do sistema municipal vão circular por três meses com a mensagem e logomarca da ação, chamando a atenção da população para o tema e alertando que “Aqui o abuso sexual não ficará impune”.

Estes ônibus das empresas concessionárias do sistema circulam por todas as regiões da cidade.

A campanha será também veiculada em seis edições diferentes no Jornal do Ônibus, que é afixado em toda a frota da capital, em postagens voltadas para o tema nas redes sociais da SMT e da SPTrans e em cartazes distribuídos para todas as garagens das operadoras do sistema.

O objetivo é incentivar a denúncia por parte das vítimas, de outras mulheres, testemunhas e de motoristas e cobradores(as) e a campanha deve durar até o mês de agosto.

Em nota, a SMT destacou faz um retrospecto do combate ao abuso no transporte:

O combate ao abuso sexual no transporte público vem sendo um dos principais desafios da gestão da SMT e da SPTrans ao longo dos últimos anos, com foco no treinamento dos profissionais e trabalho conjunto com entidades do Poder Público, de segurança pública e da sociedade civil. Algumas das ações adotadas pela empresa recentemente estão elencadas a seguir.

 Programa Viagem Segura

 Implantado em 2017, o Viagem Segura é um programa que tem o objetivo de melhorar a competência dos profissionais que atuam na “ponta” do sistema de transporte público, ou seja, motoristas, cobradores e fiscais com temas como a direção defensiva, prevenção de acidentes e atendimento aos passageiros.

 A SPTrans aborda o assunto abuso sexual no programa e a orientação, neste caso, é que os operadores devem chamar a polícia ou conduzir o ônibus até a delegacia mais próxima, se possível, onde a vítima poderá registrar o boletim de ocorrência e receber amparo das autoridades policiais.

 Em 2019, foram treinados 35.025 profissionais. Em 2020, 5.832 pessoas foram treinadas das quais 3.828 no treinamento de ingresso que abrange o conteúdo de abuso sexual.

 Ainda em 2020, a SPTrans elaborou e aplicou o treinamento para 49 profissionais dos RH’s das empresas operadoras “Formação de Multiplicadores – Abuso Sexual nos Transportes”.

 Grupo de trabalho intersecretarial

 O compromisso da Prefeitura em acabar com atos de abuso e importunação sexual nos ônibus foi reforçado durante o evento “Roda de Conversa – Ponto Final ao Abuso Sexual nos ônibus de São Paulo”, promovido pela Prefeitura de São Paulo, em parceria com as Secretarias Municipais de Mobilidade e Transportes – SMT e de Direitos Humanos e Cidadania – SMDHC, realizado no dia 6 de em março de 2020.

 Na oportunidade, foi firmado o Termo de Cooperação Intersecretarial com a proposta de fortalecer as ações que já são realizadas e ampliar o combate a essa prática e formas de aprimorar o atendimento às vítimas, como o encaminhamento a serviços especializados.

 Após discussão com a sociedade, através de conselheiros do CMTT – Conselho Municipal de Transporte e Trânsito, com movimentos em defesa da mulher, do Banco Mundial e da Polícia Civil, surgiu o grupo de trabalho Ações contra violência de gênero, raça e diversidade na mobilidade urbana, com o objetivo de adotar programas para redução das desigualdades de gênero e raça na mobilidade urbana. A Portaria SMT.GAB Nº 006 constituiu o Grupo de Trabalho e foi publicada no Diário Oficial no dia 1 de março.

 Canal de denúncia 156

 O 156 é o canal de denúncia oferecido pela Prefeitura. A vítima do abuso sexual no ônibus pode ligar para o 156, digitar 0, e terá sua denúncia registrada. Os dados da denúncia serão repassados pelo 156 à SPTrans, que realizará o mapeamento dos casos de abuso para colaborar com as investigações por parte das autoridades policiais e verificar se os operadores adotaram os procedimentos corretos.

Serviço:

Posto de Apoio à Mulher

Onde: mezanino do Terminal Sacomã

Endereço: Terminal Sacomã – Rua Bom Pastor, 3.000, Sacomã

Horário: de segunda a sexta, das 10 às 16 horas

Lançamento da campanha da SPTrans “Ponto Final ao abuso sexual nos ônibus de São Paulo”

Onde: Redes sociais da SPTrans e edições do Jornal do Ônibus

Quando: a partir de segunda-feira, 8 de março

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta