Com plantas de fábrica de pneus no ABC, prefeitos da região dizem que medida de Bolsonaro que zero imposto de importação para pesados é prejudicial

Ao centro, presidente de Consórcio e prefeito de Santo André, Paulo Serra, fala sobre possíveis impactos no ABC Paulista

De acordo com Consórcio Intermunicipal, empregos podem ser cortados com concorrência estrangeira, prejudicando cidades

ADAMO BAZANI

Tentativa do presidente Jair Bolsonaro de agradar caminhoneiros e evitar uma greve da categoria, a alíquota zero do imposto de importação sobre pneus de veículos pesados (caminhões e ônibus) tem provocado reações negativas de prefeitos que administram cidades que possuem fábricas deste produto.

Nesta terça-feira, 23 de fevereiro de 2021, o Consórcio Intermunicipal ABC, que reúne prefeitos das sete cidades do ABC Paulista, em reunião com representantes do Ministério da Economia, apontaram o que classifica de “efeitos negativos da decisão do Governo Federal”.

O decreto zerando a alíquota foi publicado em Diário Oficial em 21 de janeiro de 2021, como mostrou o Diário do Transporte.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/01/21/governo-federal-zera-imposto-de-importacao-de-pneus-para-transporte-rodoviario-de-cargas/

Em nota, o presidente do Consórcio e prefeito de Santo André, Paulo Serra, disse que, com a concorrência dos produtos internacionais, há riscos para manutenção de empregos na indústria do setor, o que impactaria também nas cidades onde estas fabricantes possuem plantas.

“Os postos de trabalho na indústria da borracha ficaram em risco com a decisão de baixar a alíquota para o pneu importado. Por isso, como presidente do Consórcio ABC, buscamos diálogo e alternativas que garantam equilíbrio entre oferecer um preço justo ao consumidor, mas preservando também os investimentos, os empregos e gerando renda para a nossa gente”, afirmou Paulo Serra.

O prefeito se reuniu com o subsecretário de Ambiente de Negócios e Competitividade, Jorge Lima, acompanhado do presidente da Anip, Klaus Curt Müller, do presidente da Bridgestone para a América do Sul, Fabio Fossen, e do deputado federal Alex Manente.

Segundo o consórcio, os efeitos da redução da alíquota serão já em curto e médio prazos.

O consórcio de prefeitos ressaltou que dados reunidos pela Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) mostram que o setor de pneumáticos emprega diretamente mais de 30 mil trabalhadores, além dos empregos indiretos na rede de revendedores, fornecedores e parceiros em todo o Brasil. Segundo a associação, a medida trará impacto não apenas para os fabricantes de pneus, mas também afetará toda a cadeia produtiva nacional.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Passei na porta da PIRELLI hoje, na Giovanni Baptista Pirelli 831, que mudou para Prysmian Cabos, e, hoje, já é outro nome por lá…PROMETEON é a nova nomenclatura da empresa global da Pirelli, criada em 06 /2020, para juntar parte administrativa tudo num só bloco…FIQUEM ATENTOS

Deixe uma resposta