Alesp aprova projeto de lei que determina instalação de álcool em gel nos transportes públicos metropolitanos

Dispensadores deverão ser instalados próximos às portas de entrada e saída, e no meio dos veículos

PL determina colocação de dispensadores de álcool nos transportes intermunicipais do Estado em veículos como ônibus, vagões de trem e metrôs e VLTs

ALEXANDRE PELEGI

Todos os veículos que atuam no transporte intermunicipal do estado de São Paulo deverão afixar dispensadores de álcool em gel 70º em pelo menos três pontos.

A medida foi aprovada pela Assembleia Legislativa de São Paulo no início de fevereiro de 2021, e vale para os ônibus da EMTU, vagões de trem da CPTM e metrôs e VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos).

O projeto de lei nº 80/2020, de autoria do deputado estadual Caio França (PSB), explicita que os pontos de afixação do dispensador de álcool em gel “deverão necessariamente ser instalados próximos às portas de entrada e saída, e no meio dos veículos”.

Para o deputado autor da Lei, infelizmente o transporte público é um ambiente favorável para proliferação do vírus.

“A população que depende deste meio de locomoção para chegar ao local de trabalho fica mais exposta ao contágio por conta do aglomerado de pessoas e da baixa circulação de ar. Acrescenta-se a isto o contato físico permanente. Dessa forma, é essencial que o transporte público ofereça condições mínimas de higiene para reduzir as chances de contaminação de usuários não só do Covid-19, mas de outros vírus e bactérias”, destacou o parlamentar.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. vagligeiro disse:

    Olha, por mais que eu defenda higienização, acho um exagero. E isso pode somar a alegações de aumento de preços – já que temos um problema quanto aos combustíveis…

Deixe uma resposta