Informe publicitário

Caio e Busscar adotam medidas para minimizar os efeitos econômicos da pandemia no setor de ônibus

O ano de 2020 representa um marco na história da humanidade. Os impactos provocados pela pandemia atingiram a todos os países, cidades e segmentos econômicos. Para o setor de ônibus, tanto de urbanos quanto de rodoviários, não foi diferente.

O Grupo Caio, composto entre outras empresas pela Caio, fabricante de ônibus urbanos, e Busscar, fabricante de ônibus rodoviários, vem se utilizando de várias soluções, com o objetivo de manter a saúde financeira e os empregos tanto quanto possível.

No ano passado, foram utilizados acordos emergenciais estabelecidos pelo Governo, banco de horas, suspensão de jornada de trabalho e salário etc.

Outra solução utilizada pelo Grupo, foi solicitar legalmente a suspensão temporária do pagamento de prestações relativas à compra da Busscar, em leilão ocorrido em 2017.

A solicitação foi analisada e concedida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Após os seis meses, as parcelas voltaram a ser pagas normalmente.

O acordo foi parte de uma estratégia para evitar que a empresa diminuísse seu quadro de colaboradores, garantindo, assim, não só estabilidade para eles, como o cumprimento de compromissos com seus clientes e fornecedores.

As vendas no setor rodoviário em 2020 foram representadas principalmente pelo segmento de fretamento.

Nos anos anteriores, a empresa trabalhou com o desenvolvimento de um veículo para atender especificamente a esse segmento, o El Buss 320. Conta também com o El Buss 340 em seu mix de produtos, lançado no ano passado.

“Para os próximos anos, entendemos que o mercado tem condições de recuperar-se e a solidez do Grupo será um dos pontos fortes para o crescimento da marca “, comenta o diretor industrial da Busscar, Maurício Cunha.

Somados à solidez do Grupo Caio, o know how dos colaboradores, a robustez, conforto e design diferenciado dos produtos Busscar, têm cooperado para que a marca se fortaleça cada vez mais.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Adriano muller disse:

    Um dos jeitos foi demitir funcionários por justa causa sem qualquer motivo deixando o funcionário na miséria em meio a uma pandemia.

Deixe uma resposta