Ônibus elétrico da Hyundai pega fogo na Coreia do Sul e Ministério dos Transportes investiga as causas

Foi a primeira ocorrência deste tipo com o modelo

Ninguém se feriu. Em outubro de 2020, fabricante teve de fazer recall em carro elétrico por curto-circuito. Aos menos 15 veículos tiveram incêndio espontâneo

ADAMO BAZANI

O Ministério dos Transportes sul-coreano, o Instituto de Pesquisa e Teste de Automóveis da Coreia do Sul, o Instituto Nacional de Pesquisa de Incêndios e os Bombeiros de Changwonm, capital da província de Gyeongsang Sul, investigam o que teria motivado o incêndio de um ônibus elétrico modelo Elec City 2019, fabricado pela Hyundai.

O veículo pegou fogo nesta segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021, quando voltava para a garagem após uma inspeção.

Ninguém se feriu.

O modelo possui baterias no teto produzidas pela LG Energy Solutions.

As fabricantes do ônibus e do conjunto de baterias também vão participar das apurações.

De acordo com agências internacionais e o site brasileiro Olhar Digital, o incêndio causou um prejuízo de quase R$ 2 milhões (em conversão livre da moeda local, wons, para o real).

Um fato como este nunca havia ocorrido com o modelo de ônibus elétrico da marca, mas não é a primeira vez que incêndios são registrados em veículos elétricos da Hyundai.

Em outubro de 2020, a Hyundai convocou os proprietários de 25,5 mil SUVs modelo Kona, da versão elétrica, para um recall.  Foi detectado risco de curto-circuito e a causa provável é uma falha de fabricação nas células de baterias de alta tensão.

Segundo a imprensa da Coreia do Sul, ao menos 15 unidades do carro pegaram fogo, algumas depois do recall.

Quanto ao ônibus elétrico, a empresa não havia comunicado nenhum problema pré-existente.

O modelo Hyundai Elec City pode receber bateria de íon-lítio de 128 kWh ou 256 kWh e possui motor elétrico de 240 kW

A autonomia é de até 290 km.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta