Transportes no Rio de Janeiro terão horário especial durante Carnaval

MetrôRio não fará operação especial de Carnaval, e linhas funcionarão em horários regulares

Sistema de barcas vai operar com as grades de fins de semana e feriados nos dias 13 (sábado), 14 (domingo) e 16 (terça-feira)

ALEXANDRE PELEGI

Com o cancelamento de vários eventos do carnaval em todo o país, vários serviços sofrerão pouca alteração em seu funcionamento.

É o caso dos transportes da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Confira como os serviços irão funcionara partir deste sábado, 13 de fevereiro de 2021:

MetrôRio – com o veto a desfiles e blocos, o Metrô não fará operação especial de Carnaval.

A partir de hoje e até o dia 17 de fevereiro as Linhas 1, 2 e 4 vão operar nos horários regulares. No sábado (13), segunda-feira (15) e quarta-feira (17), as estações serão abertas das 5h à meia-noite. No domingo (14) e no feriado de Carnaval, terça-feira (16), a operação será das 7h às 23h.

No fim de semana e no feriado, a transferência entre as linhas 1 e 2 será feita na estação Estácio. As linhas de ônibus do Metrô na Superfície (Antero de Quental – Gávea e Botafogo – Gávea) também seguirão os horários de rotina.

SuperVia – Apenas na terça-feira (16), feriado de Carnaval, os trens circularão segundo a grade horária de sábados para cada ramal (entre 4h15 e 23h). Nos demais dias da semana a operação seguirá a grade regular de dias úteis.

Barcas – O sistema de barcas vai operar com as grades de fins de semana e feriados nos dias 13 (sábado), 14 (domingo) e 16 (terça-feira). Em todos esses dias a linha Arariboia terá travessias a cada 60 minutos, das 5h30 às 20h30 no sentido Niterói-Rio; e das 6h às 21h no trajeto Rio-Niterói. Já na linha Paquetá, a grade de viagens nesses dias está disponível no site da CCR: http://www.grupoccr.com.br/barcas/noticias/medidas-contra-o-coronavirus?id=4081. A linha Cocotá não funcionará.

Nos dias 15 (segunda-feira) e 17 (quarta-feira) as travessias seguirão a grade de horário de dias úteis.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta