Sorocaba e Grande São Paulo possuem os ônibus com maior idade média do sistema EMTU

Idade média da EMTU no ABC influencia na Grande São Paulo

Mesmo com lei federal determinando frota 100% acessível até 2014, nenhuma das cinco regiões metropolitanas cumpre “Estatuto da Pessoa com Deficiência”. Dados fazem parte de relatório oficial publicado nesta sexta-feira (12)

ADAMO BAZANI

Quem utiliza ônibus gerenciados pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) na Grande São Paulo e na região de Sorocaba, no interior paulista, está viajando nas frotas mais velhas de todas as cinco regiões metropolitanas do Estado.

São nestes municípios que as frotas destes ônibus possuem a idade média mais avançada, com 9,22 anos na Região Metropolitana de Sorocaba e com 6,96 anos na Grande São Paulo.

O dado faz parte de publicação oficial desta sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021, que traz o Relatório das Atividades do Executivo enviado à Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo).

As idades se referem ao balanço de setembro de 2020 realizado pelo governo do Estado, que considerou o sistema regular.

A região com idade menor de frota de ônibus do sistema EMTU é a Baixada Santista, com 5,1 anos.

Na região metropolitana de Campinas, a idade média dos ônibus é de 5,36 anos e no Vale do Paraíba e Litoral Norte, a frota das empresas cujas linhas são da EMTU tem 5,61 anos.

Levando em conta a ponderação de todas as regiões do Estado, a idade média da frota é de 6,65 anos.

Na Grande São Paulo, a idade dos ônibus é elevada por causa do ABC Paulista.

Em decorrência da influência dos empresários de ônibus da região, nunca foi licitada a área 5 da EMTU, que corresponde ao local.

Como resultado, os ônibus são os mais velhos, menos acessíveis e as linhas desatualizadas.

Em todas as cinco áreas operacionais da Grande São Paulo, que englobam 39 cidades, os contratos venceram em 2016 e até agora não foi feita pela EMTU uma nova concessão.

Em entrevista ao Diário do Transporte, em 26 der novembro de 2020, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, disse que até o final daquele ano seria lançado o edital de licitação em toda a Grande São Paulo, o que não ocorreu.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/11/26/audio-licitacao-da-emtu-tera-inicio-ainda-neste-ano-e-dever-ser-concluida-no-1o-trimestre-de-2021-diz-baldy/

LEI DE ACESSIBILIDADE NÃO É CUMPRIDA:

Frota antiga, além de maior possibilidade de maiores quebras e menor conforto, é sinal também de falta de acessibilidade.

Nenhuma das cinco regiões cujos transportes são gerenciados pela EMTU tem 100% da frota de ônibus acessíveis, muito embora, o Decreto Federal 5.296 de 02 de dezembro de 2004, conhecido como Estatuto da Pessoa com Deficiência, determinou que desde 2014 a integralidade de ônibus urbanos e metropolitanos em todo o País deveria ter estes equipamentos de acessibilidade.

Em 2014, quando a lei deveria ter sido cumprida, o Diário do Transporte conversou com o om o diretor administrativo e institucional da NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, Marcos Bicalho, que na ocisão disse que a lei previa também a troca dos ônibus até o fim de sua vida útil.

Segundo Bicalho na ocasião, outra normal federal determinou que todos os ônibus saíssem de fábrica com acessibilidade desde 2008. Como, em geral, os sistemas de ônibus no País permitem idades de até dez anos, a expectativa era de que em 2018 todos os coletivos no Brasil fossem acessíveis.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2014/12/03/entrevista-empresas-seguem-lei-de-acessibilidade-diz-ntu/

Mas em 2021, quem usa ônibus no País, em especial pessoas com deficiência, sabe que esta não é a realidade encontrada nas ruas.

E com a EMTU não é diferente.

A região que possui maior frota acessível em relação ao total de ônibus é a Baixada Santista, cuja idade é a mais baixa. São 95,02% da frota acessíveis.

Ainda de acordo com a publicação oficial, a região com menor índice de frota acessível é Litoral Norte e Vale do Paraíba, com menos da metade dos ônibus com acessibilidade: 46,55%.

RENOVAÇÕES DE FROTA:

No relatório, o governo do Estado de São Paulo destaca renovações de frota ocorridas em 2020, que resultaram em 201 novos ônibus, a maioria com ar-condicionado e todos com acessibilidade.

Foram entregues 201 novos veículos, sendo 180 com ar-condicionado e carregador USB para celular. Todos os ônibus incluídos possuem plataforma elevatória e outros itens de acessibilidade. Na região sudoeste da Grande São Paulo, a EMTU/SP adquiriu 50 novos veículos em substituição aos mais antigos que operam nos serviços intermunicipais. Em março, os passageiros de Guarulhos e do município de Itaquaquecetuba que se dirigem aos terminais do Metrô Armênia e Tucuruvi, na capital, foram beneficiados com 30 novos ônibus zero km, com ar condicionado, adquiridos pela empresa Vila Galvão, do Consórcio Internorte. No total, as melhorias beneficiaram mais de 3 milhões de passageiros

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. vagligeiro disse:

    Ultimamente eu não penso mais na idade do ônibus mas sim nas condições de manutenção do mesmo. Desde que com manutenção em dia, até um ônibus de 70 anos ultimamente seria útil.

    Entendo que veículos tem vida útil razoável devido a tudo que as peças sofrem com o tempo. Mas noto que quando bem conservado, um veículo pode durar mais do que a média que uma legislação impõe.

    Eis um problema que é gerado com esta questão da “idade máxima”: se põe que um ônibus deve ser operado até tal idade, mas muitas vezes os ônibus acabam mais mal acabados e usados até ser vendidos como sucatas – e não há plano no Brasil para uma reciclagem automotiva bem feita.

    Sei que ao menos no sul do Brasil, até a década retrasada (200x) tinha regiões com uma frota com ônibus bem mais antigos, porém conservados. (merecia reportagem, diga-se de passagem).

    Enfim, exigir observação da idade máxima acaba ignorando mais as condições gerais dos veículos, que mesmo com 5 anos de uso acabam ficando com problemas.

  2. Marco Antônio da Silva disse:

    As linhas saltoXitu ituXporto feliz devem ser as campeãs em veículos obsoletos! Ambas do grupo Belarmino!

Deixe uma resposta para vagligeiro Cancelar resposta