Curitiba abre licitação para Relatório Ambiental de Ampliação da Capacidade e Velocidade da Linha Inter 2 e dos BRT Leste/Oeste e Sul

Foto: Arte/IPUCC

Concorrência do tipo menor preço tem valor máximo estimado de R$ 821 mil e está marcada 26 de fevereiro de 2021

ALEXANDRE PELEGI

O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) publicou na edição do Diário Oficial da União desta quinta-feira, 28 de janeiro de 2021, Aviso de Licitação para a seleção e contratação de empresa(s) para elaboração de Relatório Ambiental Prévio – RAP para o Programa de Mobilidade Urbana Sustentável do Município.

A licitação será realizada no dia 26 de fevereiro de 2021 na modalidade Concorrência Pública, do tipo Menor Preço, na forma de execução indireta, no regime de empreitada por preço global, e contempla as definições dos Projetos de Ampliação da Capacidade e da Velocidade da Linha Direta Inter 2 e dos BRT Leste/Oeste e Sul.

O valor máximo estimado da licitação é de R$ 821.422,77.

De acordo com o Termo de Referência do Edital, a ampliação da capacidade do sistema de transporte coletivo, assim como as adequações da infraestrutura viária e dos equipamentos operacionais vem se tornando prioritárias para sanar perdas de eficiência e de qualidade dos serviços, que tem resultado na crescente evasão de usuários da RIT.

Com o propósito de reverter esta tendência negativa na operacionalização de componentes estratégicos do transporte público da cidade, os projetos executivos e as respectivas etapas de implantação das obras de infraestrutura para ampliação da capacidade da Linha Direta Inter 2 e dos BRT Leste/Oeste e Sul estão sendo viabilizados por meio da contratação do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Curitiba, que inclui recursos de financiamentos externos obtidos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID e ao New Development Bank – NDB”.

Os corredores do BRT dos Eixos Estruturais Leste/Oeste e Sul serão requalificados por meio de recursos do financiamento gerado pelo New Developmente Bank – NDB. Já as obras de melhoria da infraestrutura projetadas para a Linha Direta Inter 2 terão viabilidade executiva em função de valores do empréstimo financeiro obtido junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.


BRT LESTE-OESTE E SUL

Os eixos estruturais do BRT Leste/Oeste e Sul são corredores consolidados do sistema transporte coletivo da RIT.

O trajeto percorrido pelas linhas em operação no corredor do BRT Leste/Oeste, entre os Terminais Centenário e Campo Comprido, possui extensão aproximada de 22,5 km e atravessa 12 bairros sendo composto por 6 terminais de integração e 32 estações.

O percurso do BRT Sul compreende três terminal e 13 estações instalados na canaleta exclusiva do eixo estrutural sul implantado nas Av. República Argentina e Winston Churchill entre a Estação Silva Jardim e o Terminal Pinheirinho.

As propostas componentes do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Curitiba, que estão sendo viabilizadas com recursos oriundos do NDB, definem-se de acordo com os seguintes parâmetros:

Para o Eixo Leste/Oeste:

= Requalificar terminais para a melhoria da acessibilidade, da operação dos ônibus e da segurança dos passageiros;

= Aumentar o número de vias exclusivas ao transporte público coletivo.

Para os Eixos Leste/Oeste e Sul:

= Permitir a ultrapassagem entre as Linhas Expressas das canaletas;

= Melhorar a acessibilidade nas estações tubo e entorno imediato;

= Reduzir as emissões de CO² nas linhas em operação, a partir da utilização de veículos movidos a Biodiesel B100;

= Favorecer a mobilidade ativa por meio da implantação de paraciclos e vias compartilhadas (automóvel x bicicleta) ao longo das canaletas exclusivas e da requalificação das calçadas com ênfase na acessibilidade, no entorno das estações tubo;

Para os Eixos Leste/Oeste e Norte/Sul:

= Aumentar a velocidade operacional das Linhas Expressas;

= Diminuir os tempos de deslocamento das Linhas Expressas;

= Aumentar o número de passageiros das linhas em operação.

As definições de projeto compreendem obras de readequação das canaletas exclusivas de transporte coletivo, com o afastamento das estações tubo, criando uma terceira e quarta pistas para ultrapassagem, de forma a permitir a utilização de linhas de Ligeirão, mais rápidas e com menos paradas.

Também estão previstas obras de melhoria das calçadas e das passagens em nível para acesso aos Terminais e Estações Tubo.

O projeto estabelece, ainda, a implantação de bicicletários de integração, assim como a retirada da pista para ciclistas da caneleta exclusiva, que irá integrar as vias adjacentes do Eixo Estrutural. Serão introduzidas Vias Calmas, paralelas às canaletas exclusivas, onde haverá o compartilhamento do trânsito local com o modal bicicleta.

LINHA DIRETA INTER 2

A Linha Direta Inter 2 promove a conexão entre os eixos estruturais da RIT, que formam os corredores de transporte com canaletas exclusivas, por meio de um percurso circular composto por seis terminais de integração e 13 estações tubo, em um conjunto de vias periféricas, totalizando aproximadamente 38 quilômetros de extensão por sentido, que permitem contornar o anel central da cidade.

Responsável pelo deslocamento de aproximadamente 91 mil passageiros por dia, a Linha Direta Inter 2 oferece aos usuários do transporte coletivo a efetiva integração entre os eixos estruturais e as vias troncais do sistema de transporte coletivo, como também a interligação entre 28 bairros do município.

Com a perspectiva de ampliar o nível de conforto dos usuários da Linha Direta Inter 2, a partir de definições que irão proporcionar o aumento da capacidade de transporte e da velocidade operacional, além de garantir a regularidade programada da Linha Direta Inter 2, o projeto, que constitui a proposta de financiamento do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Curitiba contratada junto ao BID, tem como objetivos específicos:

= Melhorar a integração do sistema com modais de transporte complementares;

= Melhorar a eficiência do processo operacional da Linha;

= Melhorar a acessibilidade de pedestres e pessoas com mobilidade reduzida nas estações e terminais de passagem.

As intervenções físicas e operacionais no percurso da Linha Direta Inter 2 compreendem procedimentos de obra para a requalificação das vias de circulação do ônibus, implantação de faixas exclusivas para o transporte coletivo ao longo do trajeto viário, inserção de trechos com o compartilhamento da canaleta exclusiva, reforma e reconstrução de terminais de transporte, ampliação e relocação de estações-tubo, alterações geométricas em cruzamentos saturados, construção de obras de arte especiais (trincheiras e ponte), implantação de novos binários de tráfego, priorização semafórica e monitoramento e fiscalização eletrônica.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta