FPT Industrial lidera projeto na Suíça para o uso do DME, combustível alternativo limpo para motores de veículos pesados

O DME (dimetil éter) é um combustível sustentável para motores de ignição por compressão e pode ser produzido a partir de várias fontes renováveis

ALEXANDRE PELEGI

O dimetil éter ou DME, novo combustível limpo, é um gás líquido sintetizado a partir do gás natural.

O DME não gera óxido de enxofre nem partículas em sua combustão, e pode ser produzido a partir do gás natural, mas também do carvão, da biomassa, de detritos industriais ou de resíduos de petróleo.

De olho na sustentabilidade como um dos objetivos estratégicos, a FPT Industrial está atuando na Europa diante da necessidade de alcançar as metas do continente de emissão de CO2 em 2025 e 2030.

O uso de combustíveis alternativos e sintéticos se torna um possível caminho para enfrentar esses desafios.

Em comunicado à imprensa especializada, a FPT Motorenforschung em Arbon, na Suíça, informa que está desenvolvendo um projeto de inovação referente ao uso de DME em um motor de veículos pesados de 11 litros.

Com a regulação e a configuração de hardware de motores corretas, as propriedades químicas do DME permitem gerar emissões extremamente baixas de partículas e óxidos de nitrogênio e, ao mesmo tempo, manter a alta eficiência do motor. No entanto, há alguns desafios relativos à utilização do DME como combustível, principalmente quanto ao equipamento de injeção de combustível”, informa a FTP.

O DME tem sido usado industrialmente há décadas como carburante em embalagens de aerossol, já que é atóxico, inodoro e pode ser absorvido na troposfera.

Da perspectiva de armazenamento e reabastecimento, o DME é similar ao GLP, e se liquefaz a níveis bem moderados de pressão.

A meta geral do projeto é avançar na compreensão do uso de DME como uma alternativa ao diesel no setor de bens industriais e demonstrar o combustível limpo em níveis de eficiência comparáveis.

O projeto é financiado pelo SFOE (Departamento Federal de Energia da Suíça), e o banco de testes é operado na Empa Dübendorf, onde a empresa investiu pesadamente nas adaptações de infraestrutura necessárias para o uso de DME.

Os primeiros dados experimentais mostram alguns resultados bastante promissores em termos de redução de CO2, além de emissões de partículas e óxidos de nitrogênio extremamente baixas, em comparação com motores de eficiência similar movidos a diesel.

A FPT Industrial informa ainda que o projeto contribui com atividades de inovação do centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Arbon, na Suíça. Uma de suas sete unidades globais de P&D, esse é um centro de excelência da marca para tecnologias avançadas, onde a tecnologia de Common Rail e o HI-eSCR (sistema de redução catalítica seletiva de alta eficiência) foram desenvolvidos.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta