ÁUDIO: ABC pode ter greve parcial de ônibus na segunda (25) envolvendo Grupo Baltazar, Parque das Nações e Expresso SBC

Ônibus Metropolitano no ABC

Segundo Sintetra, maior parte das companhias de transporte fez o pagamento integral do adiantamento salarial previsto em convenção trabalhista. Viações que restam têm até sexta-feira para pagar e evitar a paralisação

ADAMO BAZANI

Colaborou Willian Moreira

Os moradores do ABC Paulista devem estar atentos porque na próxima segunda-feira, 25 de janeiro de 2021, pode haver uma paralisação parcial de ônibus na região.

A informação é do presidente do Sintetra, Leandro Mendes da Silva, em entrevista na tarde desta quarta-feira, 20 de janeiro de 2021 ao Diário do Transporte.

O Sintetra representa os trabalhadores em transportes nas sete cidades da região: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

De acordo com Leandro, todas as empresas de ônibus da região pagaram integralmente o adiantamento salarial de 40%, previsto em convenção coletiva, com exceção da TPCN – Transportes Coletivos Parque das Nações (Parquinho), Expresso São Bernardo (Expressinho) e Grupo Baltazar (EAOSA, Imigrantes, Riacho Grande, Ribeirão Pires, São Camilo, Triângulo, Urbana )

O adiantamento salarial é chamado de “vale” pela categoria e deve ser pago todo o dia 20.

As companhias de ônibus da região, alegando dificuldades financeiras por causa da queda de demanda de passageiros em decorrência da pandemia de covid-19, chegaram a propor pagamento de 75% do valor do adiantamento, mas os trabalhadores não aceitaram.

Leandro disse que se as empresas não pagarem até sexta-feira (22), na segunda-feira (25) pode haver paralisação.

“O Grupo Baltazar que a gente tem esse problema, a Parquinho e a Expressinho. O Grupo Baltazar são sete empresas, mais a Parquinho, oito; e com a Expressinho são nove. Essas são as empresas que hoje ainda não pagaram o vale. Estamos dando prazo até sexta-feira para eles estarem acertando. Porque na sexta-feira a gente vai tirar alguma posição aqui no sindicato. Se as empresas não pagarem a partir de segunda vai amanhecer parado e voltar a rodar só com o pagamento na conta” – explicou.

Ouça:

Nesta quinta-feira (21), a diretoria do Sintetra vai se reunir para discutir os encaminhamentos referentes às empresas que ainda não pagaram.

Empresas de ônibus municipais e tarifas no ABC (gestão das prefeituras)

Santo André:

Tarifa: R$ 4,75

– Consórcio União Santo André (linhas comuns): formado pela Viação Guaianazes, Viação Vaz, TCPN (Transportes Coletivos Parque das Nações), ETURSA (Empresa de Transporte Urbano e Rodoviário de Santo André) e EUSA (Empresa Urbana Santo André).

– Suzantur: opera o sistema tronco-alimentado da região da Vila Luzita até o centro de Santo André, de forma provisória até a licitação do sistema que deveria ter sido realizada em 2016.

São Bernardo do Campo:

Tarifa: R$ 4,75

– BR7 Mobilidade

São Caetano do Sul:

Tarifa: R$ 4,50

– Vipe (Viação Padre Eustáquio)

Diadema:

Tarifa: R$ 4,65 (básica)

– Suzantur

– MobiBrasil

Mauá:

Tarifa: R$ 4,30

Suzantur

Ribeirão Pires:

Tarifa: R$ 4,40

– Rigras (comprada pela Suzantur)

Rio Grande da Serra:

Tarifa: R$ 4,20

– Viação Talismã

Metropolitanas (EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) – As tarifas variam de acordo com os trajetos – Gestão do Governo do Estado de São Paulo

Área 5 da EMTU – Operadoras (não consorciadas): ABC, EAOSA, Expresso SBC, Imigrantes, Mobibrasil, Parque das Nações, Publix, Riacho Grande, Ribeirão Pires, Rigras (assumida pela Suzantur), São Camilo, Trans-Bus, Triângulo, Tucuruvi, Urbana e Vipe

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta