Operação da ANTT em Goiânia apreende cinco ônibus por transporte irregular, dois deles a serviço da Buser

Imagem: ANTT

Em ação da Operação Pascal, fiscais da Agência continuam no estado de Goiás neste mês de janeiro atuando contra o transporte clandestino

ALEXANDRE PELEGI

Em operação contra o transporte rodoviário interestadual irregular de passageiros, a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) fiscalizou 38 veículos em Goiânia de 12 a 14 de janeiro de 2021.

Parte da Operação Pascal, que em 2020 apreendeu 1.289 veículos e lavrou 2.678 Autos de Infração, a ação ocorreu no entorno do terminal rodoviário de Goiânia e nas saídas da cidade.

No total, segundo Hugo Rodrigues, coordenador de fiscalização, foram fiscalizados 38 veículos, com 45 autos de infração lavrados.

Ao fim do trabalho, a equipe de fiscais da Agência apreendeu cinco ônibus que realizavam transporte clandestino, segundo o entendimento da atual legislação. De acordo com a ANTT, o fretamento só deve ser feito em circuito fechado, ou seja, as mesmas pessoas da ida devem estar na volta da viagem. O circuito aberto é permitido apenas para empresas que prestam serviços em linhas regulares.

Dois desses veículos estavam a serviço da Buser, plataforma de fretamento colaborativo. Um seguia de Goiânia para São Paulo, e outro tinha Brasília como destino.

O Diário do Transporte solicitou a manifestação da Buser em relação a este novo caso, e aguarda a resposta da empresa de aplicativo para publicar neste espaço.

IRREGULARIDADES

Dos 45 autos de infração lavrados, os mais repetidos se referiam a veículos inativos no sistema da ANTT, motoristas sem curso para transporte de passageiros e defeito em equipamento obrigatório (luzes indicativas de saída de emergência, pneu careca, parabrisa trincado).

Três veículos foram retidos para regularização de itens de segurança, mas depois seguiram viagem.

Na próxima semana a equipe de fiscais da ANTT continua em Goiás, mas agora em locais mais afastados de Goiânia.

BALANÇO GERAL

A Operação Pascal em 2020 resultou num prejuízo de R$ 14,2 milhões ao transporte rodoviário clandestino interestadual de passageiros, segundo dados da ANTT.

Após as apreensões, puderam seguir viagem com segurança 38.670 passageiros através dos terminais rodoviários oficiais e empresas regulares.

IMAGENS DA OPERAÇÃO EM GOIÂNIA


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Ericsson Araújo disse:

    Estão fazendo com a Buser o mesmo que fizeram com a Uber…..se os serviços das empresas considerdas registradas fossem RAZOÁVEIS não existiria a BUSER..

    1. Joaquim disse:

      Concordo Ericson…..fiz vários comentários
      sobre esta situação aquii e nenhum foi publicado..kkkk..

      Tenho posso.. print de.. todos que fiz

  2. Ronald Gomes disse:

    Tem que tirar o Buser fora mesmo , uma coisa é o Uber que transporta menos pessoas em automóveis e muitas vezes em área urbana e outra é transportar 60 pessoas num ônibus sem o mínimo de segurança e a carga horária de um motorista incorreta e a devida manutenção de ônibus que uma empresa regular faz maioria das vezes faz, foram flagrados vários ônibus a serviço da Buser que nem frota tem com itens de segurança vencidos e pneus carecas , mais porque isso ,? preços oferecidos via aplicativo baratos demais , não tem como manter , um custo operacional na verdade é muito alto . Só o que pode salvar o sistema hoje em dia seria subsídio do Governo Federal , o que duvido irá fazer , é mais fácil a ilegalidade tomar conta .
    Hoje às empresas regulares são maior parte acompanhadas pela ANTT com sistema monotrip , as viagens são acompanhadas dando segurança a empresa e principalmente aos passageiros . O Buser o que faz , manda o ônibus DD novinho , motorista arrumadinho , faz um corre danado para fazer por exemplo o trecho Rio SP em 5 hs de viagem na Dutra e o motorista avaliado no aplicativo com o passageiro dando nota dez porque foi rápida a viagem e o feliz por ter ido num ônibus novo .
    Hoje às empresas regulares tiveram que se enquadrar na nova realidade do mercado com ônibus com mais conforto também , se você utilizar o Buser e ônibus quebrar , quem vai socorrer ? Essa viagem rápida poderá ser útil para quem quer chegar rápido porém se acontece um acidente as coisas se complicam . Há espaço pra todos porém ao meu ver todo mundo tem que seguir as regras da ANTT , bem diferente do Uber , o pessoal mete o louco e fica misturando as coisas . Não precisa de Buser para quebrar monopólio , hoje já vemos diversos grupos empresárias que geram milhões de empregos operando no trecho Rio SP , isso não existia antes , valores já estão reduzindo e já há aplicativos de empresas grandes sendo utilizados , o que não pode é um aplicativo entrar no mercado , cadastrar diversas empresas de fretamento que estão desesperadas com a queda de serviços por conta da pandemia e querer dominar tudo sem seguir regras , é um absurdo e só acontece por conta do judiciário que infelizmente há alguns que se vendem por uns grandes trocados .
    A ANTT também peca por muitas vezes, empresas regulares cometem infrações nas estradas e não são punidas , mais uma coisa não justifica o trabalho clandestino querer utilizar se destes argumentos .
    Lembrem-se vocês estão transportando vidas e não carga ” .

  3. Nilson Silva disse:

    Parabéns pra ANTT, proteger vidas humanas é o verdadeiro motivo de seu trabalho. Obrigado pela oportunidade, motorista.rodoviário. 27 anos de experiência. Nilson Silva. Mot.1576.

  4. Jose disse:

    Tem tanta empresa que se diz regular que vende um serviço e entrega outro, completamente diferente. Se fossem competentes, aceitariam a concorrência

  5. DIEGO disse:

    Olha o naipe dos a serviço da urubuser.

  6. Joaquim disse:

    Kkkkk……. meus comentários não são publicados.kkkk

Deixe uma resposta para Nilson Silva Cancelar resposta