Funcionários da Rápido Luxo Campinas entram em greve nesta quinta (14)

Diário do transporte, transporte, transporte coletivo, transporte público, ônibus, Jundiaí, rápido luxo, transporte intermunicipal, greve, paralisação, grande são Paulo, Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Paralisação ocorre como protesto pela troca da empresa responsável do convênio médico

WILLIAN MOREIRA

Motoristas e demais funcionários da empresa Rápido Luxo Campinas, que opera ônibus do transporte intermunicipal nas cidades de Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista e Cajamar na região de Jundiaí, entraram em greve nesta quinta-feira, 14 de janeiro de 2021.

Segundo a empresa, os serviços em Itupeva e Cabreúva estão normais.

Segundo informações do Jornal da Região, os trabalhadores estão insatisfeitos com a troca do convênio médico, já que o atual não estaria os agradando.

Por este motivo eles resolveram interromper o atendimento das linhas que conectam essas cidades e concentraram os veículos na garagem na cidade de Campo Limpo Paulista.

Em nota, a Rápido Luxo Campinas considerou a paralisação como pré-matura

NOTA À IMPRENSA
A concessionária Rápido Luxo Campinas considera prematuro o movimento deflagrado hoje na porta da garagem em Campo Limpo por dois motivos: 1) a paralisação traz prejuízos à população usuária em um momento delicado da economia; 2) o novo plano de saúde é mais abrangente que o anterior.
O novo plano de saúde iniciou no dia 1º de janeiro, é um convênio de qualidade, de menor custo para os funcionários e dependentes e bem mais abrangente que o anterior. “Antes de ser efetuada a troca, a concessionária mostrou o novo plano ao sindicato e houve aprovação. Nos estranha a paralisação de hoje pois antes, os colaboradores tinham de se deslocar de várias localidades para serem atendidos em Jundiaí. Agora, com o plano mais abrangente, podem ser atendidos em Jundiaí, Franco da Rocha e Cajamar. Além disso, estão negociando para que os conveniados também sejam também atendidos em outras localidades da região”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação do Grupo Belarmino, da qual a concessionária é integrante.
O novo plano também não tem nenhum tipo de carência (o antigo tinha para alguns procedimentos) e permite que os filhos de até 21 anos (se estudantes, até 24 anos) possam entrar como dependentes. O antigo permitia, no máximo, até 16 anos. Além disso, o novo plano conta com duas unidades hospitalares, uma em Franco da Rocha e outra em Jundiaí (Parada de Taipas). O novo plano oferece também ambulância com UTI para fazer o transporte dos conveniados em caso de necessidade.
Antes, todo o atendimento era realizado apenas em clínicas de Jundiaí e, por isso, os conveniados e os seus dependentes, mesmo que não morassem na cidade, tinham de se deslocar até lá. Com o novo plano, o atendimento é feito em Jundiaí, Cajamar, Franco da Rocha e a rede de atendimento está sendo ampliada para Cabreúva, Campo Limpo Paulista e Jarinú.
O novo plano prevê os seguintes procedimentos: consultas, exames clínicos e de imagem, ecocardiograma, fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, nutricionista, mapa e Hotler, pronto-atendimento adulto e infantil, eletroencefalograma, eletrocardiograma, audiometria, acuidade visual, prova de função pulmonar, raio-x, ortopedia, cirurgias de urgência e eletivas, ressonância magnética, ultrassom, hemodinâmica, cateterismo laboratório, UTIs neonatal, infantil e adulto e tomografia.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Vagner Peixoto Costa Santos disse:

    Porque não perguntaram para os funcionários a causa de tudo isto?
    Não é só por causa do convênio.

  2. Luzinete Veiga disse:

    O novo convênio Plena não tem rede credenciada em Jundiaí, que tentou ser atendido no Pintangueiras através desse Plena não conseguiu. Os funcionários sequer receberam o cartão do convênio. Apenas o desconto em folha. Além disso a falta de atendimento desses funcionários provocou uma procura pelo serviço público da região , aumentando ainda mais a ocupação dos leitos públicos enquanto a Plena continua PLENA ganhando sem atender em Jundiaí, Faço Rocha , Caieiras e SP.

  3. E uma pouca vergonha com esta pandemia diminuiram os ônibus esta sempre lotado nos que dependemos do transporte publico ficamos a merce dessa empresa que ja esta aqui amis de 20 anos,eu acredito que ja esta na hora de por outra empresa ou outras empresas pois ja nao aguemtamos mais,ficar esperando ônibus feito um bando de idiota

  4. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Ai vai o DORICHINA e acaba com as EMTUs ! A ARTESP não cuida de nada das suas atribuições direito…vai ter que assumir as DEMANDAS E AS DEMANDAS da EMTU de todas as Regiões Metropolitanas em.que ela está ainda PRESENTE! DO a REGIÃO METROP. DE SAO PAULO JÁ é um osso duríssimo de roer… MUITA COISA ERRADA ! A ALESP É A GRANDE CULPADA DESSE MIMO TODO PARA COM O DORICHINA!

Deixe uma resposta