Transporte intermunicipal complementar de Alagoas abre convocação para contratar sistema de bilhetagem eletrônica

Foto: Divulgação

Tempo do contrato será por 5 anos, e sistema deverá prover monitoramento de frota e controle biométrico

ALEXANDRE PELEGI

O Sindicato dos Transportadores Complementares de Passageiros de Alagoas (SINTRANCOMP/AL) lançou edital convocando empresas de bilhetagem eletrônica de todo o país para apresentarem propostas para o serviço de transporte coletivo rodoviário complementar intermunicipal de passageiros do Estado.

O Edital de Convocação/Comunicação foi publicado na edição desta quarta-feira, 13 de janeiro de 2021, do Diário Oficial da União.

De acordo com a publicação, a contratação atende a determinação da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (ARSAL), conforme publicado em Resolução de março de 2020 (Resolução nº 5/2020).

As empresas de bilhetagem terão prazo de até 10 dias corridos a partir da publicação, para envio de suas propostas, através do e-mail sintrancomp.al.bilhetagemeletronica@hotmail.com


Pela Resolução nº 5/2020, “os Sindicatos das respectivas classes (serviço complementar e convencional), por meio de convênio, implantará o sistema de bilhetagem eletrônica, após prévia aprovação da ARSAL”.

O Sindicato firmou Extrato de Cooperação com a Agência Reguladora no dia 04 de janeiro deste ano, e agora fará a contratação do sistema de bilhetagem (veja abaixo).



A Resolução nº 5/2020 instituiu a bilhetagem eletrônica no sistema de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros de Alagoas:

1º O sistema de bilhetagem eletrônica de cada serviço, complementar e convencional, deve ser disponibilizado a todas as permissionárias, autorizatárias e concessionárias, conforme o respectivo representante sindical, com a cobrança de preços estabelecidos no mercado local.

Ainda de acordo com a Resolução, o sistema deverá fazer Controle Biométrico, além de possibilitar a interoperabilidade (possibilidade de integração entre Sistemas de diferentes provedores de tecnologia de hardware e software).

Além disso, deve possibilitar a integração temporal, permitindo a transferência entre linhas sem o pagamento de nova tarifa completa, em um determinado espaço de tempo, e fazer monitoramento da frota – acompanhamento da operação em tempo real, por meio de ferramentas de hardware e software que possibilitam rastrear todo o trajeto dos veículos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta