Novo prefeito de Campo Limpo Paulista suspende subsídio ao transporte e passagem volta a custar R$ 4,70

Foto: Igor F. / Ônibus Brasil

A lei do subsídio começou a valer em 1º de julho de 2020, e dava desconto de R$ 2,00. Valor mais alto volta a vigorar a partir deste domingo (10)

ALEXANDRE PELEGI

Em um vídeo publicado nas redes sociais nessa semana, o prefeito de Campo Limpo Paulista, Luiz Braz, comunicou à população que estava suspendendo a subvenção da passagem do transporte coletivo municipal.

Segundo ele, a decisão de suspender o subsídio pago à empresa de transporte coletivo Rápido Luxo Campinas ocorreu por determinação do Ministério Público.

Desta forma, o usuário do sistema local volta a pagar o valor integral da passagem de R$ 4,70 a partir da zero hora deste domingo, 10 de janeiro de 2021.

A Rápido Luxo Campinas é a empresa concessionária do transporte local.


De acordo com nota da Assessoria de Imprensa da prefeitura, o Ministério Público apontou que a medida é “eleitoreira, remete a abuso de poder econômico e não beneficia todos os usuários do sistema municipal”.

Além disso, justificou a decisão por não haver fiscalização do número de usuários da subvenção, “pois o relatório é emitido pela própria empresa”.

Como mostrou o Diário do Transporte, a Prefeitura aprovou a redução do valor no preço da passagem dos ônibus municipais em 42,5% a partir do dia 1º de julho de 2020.

De acordo com a Lei Complementar nº 554, a partir dessa data, o valor da tarifa mudou de R$ 4,70 para R$ 2,70 no dinheiro e para R$ 2,50 no cartão, ou seja, desconto de R$ 2,00 na passagem aplicado apenas para quem faz uso do cartão da Rápido Luxo Campinas ou para quem acessa o sistema no terminal rodoviário do Centro.

Campo Limpo Paulista aprova redução da tarifa de ônibus

O novo prefeito Luiz Braz intensificou a fiscalização das linhas e horários desde que assumiu, em 1º de janeiro, com fiscais no terminal.

Ele afirma que o valor gasto com o subsídio, que chega a R$ 2 milhões até hoje, poderia estar sendo usado em outros setores da prefeitura como zeladoria, educação e saúde, principalmente, neste momento de pandemia.

Não podemos aceitar que no momento em que vivemos, com um segundo pico de Covid, os ônibus estejam saindo lotados e ainda, a empresa receba da prefeitura um valor”, afirma o prefeito. “Temos um contrato que deve ser cumprido”, completa.

Desde 1º de janeiro a prefeitura mantém fiscais dentro do terminal central e deve aumentar esse trabalho com a implantação de novos procedimentos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Wellington disse:

    Campo limpo paulista da vergonha de fala que Samos cidadão de campo limpo paulista precisa de hospital tem que ir para Jundiaí para trabalhar tem que ir para Jundiaí se não tivesse Jundiaí para acolhimento do cidadãos de campo limpo paulista o que serias do povo a rápido luxo faz o que ela que na cidade de campo limpo paulista a cidade tá joga não tem nada colocar a sua casa para venda no anúncio falando que a casa fica em campo limpo paulista eles até desvaloriza da até medo das passagens fica subindo desse jeito tem algumas imprensas de Jundiaí que não que mais contratar cidadão de campo limpo paulista por causa do valor da passagem e por causa que os ônibus vive atrasado sem horas 😕😕 sem compromisso com o povo de campo limpo paulista

Deixe uma resposta