Incêndio no Metrô do México paralisa seis linhas, deixa 55 feridos e uma pessoa morta

Foto: Jornal Milenio / México

Tragédia foi provocada pela explosão de um transformador na madrugada deste sábado (09)

ALEXANDRE PELEGI

A estação número 1 da Central de Controle de Trens do Sistema de Transporte Coletivo do Metrô da Cidade do México (CDMX), localizada no Centro, foi alvo de um incêndio na madrugada deste sábado, 09 de janeiro de 2021.

O incidente de grandes proporções ocasionou a suspensão de seis linhas do sistema de transporte público.

Ainda não se sabe quando o serviço será restaurado nas seis linhas.

As linhas do metrô CDMX fechadas foram as seguintes:

Linha 1: Observatório – Pantitlán

Linha 2: Tasqueña – Cuatro Caminos

Linha 3: Indios Verdes – Universidade

Linha 4: Martín Carrera – Santa Anita

Linha 5: Pantitlán – Politécnico

Linha 6: El Rosario – Martín Carrera

Logo no início do incidente, Claudia Sheinbaum, Chefe do Governo da Cidade do México, informou que tudo começou com a explosão de um transformador que não teve a manutenção adequada “e é um equipamento muito antigo com mais de 51 anos“.

Os bombeiros compareceram ao local para apagar o incêndio e resgatar 30 trabalhadores que teriam ficado presos.

A Comissão Federal de Eletricidade (CFE), a pedido da equipe do Sistema de Transporte Coletivo do Metrô e por questões de segurança, desenergizou por volta das 05h30 uma das 2 linhas de alta tensão que fornecem energia elétrica ao Posto de Controle.

O incêndio foi controlado às 9h10 (horário do México).

A policial María Guadalupe Cornejo, de 30 anos, morreu após cair do quinto andar, supostamente quando escorregou ao tentar se proteger da fumaça, informa a imprensa da Cidade do México.

A Cruz Vermelha Mexicana socorreu 55 pessoas em um prédio do Sistema de Transporte Coletivo do Metrô, localizado no Centro da Cidade do México.

Os paramédicos transferiram o mesmo número de pacientes em 10 ambulâncias, cinco com pequenas queimaduras, outras cinco por envenenamento, para vários hospitais.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta