Diário no Sul

Ratinho Júnior se reúne com BYD e estuda VLT ou ônibus elétricos na região metropolitana de Curitiba

Apresentação divulgada pelo governador nas redes sociais. Foto: Reprodução.

Uma das propostas é que o sistema ligue as cidades de Fazenda Rio Grande e Colombo passando pela capital; Empresa já testou ônibus elétricos da marca

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

A ligação metropolitana entre Fazenda Rio Grande, Curitiba e Colombo, no Paraná, poderá ser atendida por sistema de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ou ônibus elétricos.

A informação foi publicada pelo governador Ratinho Júnior, nas redes sociais.

Nesta quarta-feira, 06 de janeiro de 2020, Ratinho Júnior se reuniu com representantes da empresa chinesa BYD, que tem sede em Campinas, no interior paulista, para conhecer alternativas da marca.

Em uma das apresentações, é citado o eixo entre as três cidades contemplando a Linha Verde, que no caso, teria o trecho Sul expandido até Fazenda Rio Grande pela BR-116 a partir da garagem da Pluma.

“Estamos buscando novas soluções para melhorar a mobilidade no transporte coletivo das cidades paranaenses, com sistemas que sejam mais eficientes, modernos e sustentáveis. A empresa chinesa BYD já conta com projetos no Brasil com veículos elétricos fazendo o transporte de passageiros”, afirmou o governador, por meio do Instagram.

BYD EM CURITIBA

O “namoro” da BYD com Curitiba e região metropolitana é antigo.

Em 25 de julho de 2016, o Diário do Transporte noticiou que a Leblon Transporte, empresa que faz a ligação entre Fazenda Rio Grande e Curitiba, testou um modelo articulado da marca, ainda com fabricação chinesa.

Ônibus produzido na China na garagem da Leblon em 2016.

Relembre:

Leblon testa ônibus elétrico entre Curitiba e Fazenda Rio Grande

SOBRE A BYD

A BYD possui veículos operando em mais de 300 cidades de 50 países, contemplando os seis continentes. No Brasil, a empresa abriu a primeira fábrica em 2015 para produção de chassis de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo.

Em abril de 2017, a BYD inaugurou a segunda planta, para produção de módulos fotovoltaicos.

Em 2020, a fabricante iniciou a operação de sua terceira planta fabril no País, em Manaus, para a produção de baterias.

A empresa também é responsável por dois projetos de SkyRail (monotrilho) no país: Em Salvador, com o VLT do Subúrbio, e na cidade de São Paulo, com a Linha 17 – Ouro.

A BYD Brasil emprega 365 funcionários nas cidades de Campinas, São Paulo, Salvador, Manaus, Vitória, Curitiba e Rio de Janeiro.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Samuel Joselito disse:

    Seria muito bom se o projeto se concretizasse. Mas para isso tem que terminar a Linha Verde, obra essa que se arrasta por quase 14 anos. O ritmo da obra esta num marasmo, que dá sono. Um cara com uma enxada aqui outro lá. Um caminhão pipa passando ali. Bem acho que a Volvo comandará o transporte de massa em Curitiba por um longo tempo !

  2. Herbet Soares disse:

    VLT seria interessante se houver demanda real pra esse tipo de modal. Se não tem, usa o BRT mesmo. Curitiba domina isso muito bem. Ia ser legal ver um BYD desses de 23m ou biarticulado como BRT em Curitiba.

Deixe uma resposta para Samuel Joselito Cancelar resposta