Moradores de Bonfinópolis (GO) protestam contra falta de ônibus

Número de linhas foi reduzido e empresas alegam que déficit financeiro operacional superou R$ 75 milhões em 10 meses de pandemia. Foto: Reprodução.

Rodovia GO-010 chegou a ser bloqueada e prefeito reforçou que situação está ‘insustentável’

WILLIAN MOREIRA

Um grupo de 400 pessoas que utilizam o transporte coletivo de Bonfinópolis, em Goiás, protestaram na manhã desta quarta-feira, 06 de janeiro de 2021, pedindo melhorias no atendimento pelos ônibus.

De acordo com os manifestantes, a espera por um coletivo em dias de semana durante a pandemia chega a ultrapassar as duas horas, causando insatisfação da população.

As linhas 212 e 215 que ligam o município até o Jardim Novo Mundo em Goiânia são o alvo principal da cobrança por melhoria.

O protesto chegou ao final somente três horas depois com a chegada do prefeito, Kelton Pinheiro, e nove vereadores para conversar com os manifestantes e conseguir negociar a liberação da rodovia.

“Já tivemos aqui em Bonfinópolis picos de 38 linhas de ônibus, hoje estamos tendo em torno de 15 linhas. Aquilo que já era complicado de aceitar como um transporte legal. 31 a 32 linhas, caiu para menos da metade e ficou agora, insuportável, insustentável. A população não está mais reivindicando mais qualidade no transporte, mas o transporte em si”, afirmou o prefeito, ao Diário de Goiás.

“Estivemos presentes, a população reivindicou nossa presença para negociar com a Polícia Militar a liberação da pista, já que estava trazendo transtorno, pacientes em ambulância para tratamentos em Goiânia já estavam há um tempo esperando com consultas atrasadas e a gente conversando com a população fez uma manifestação pacífica e entendeu por estar liderando com compromisso de que a empresa estaria mandando novos ônibus para levar a população para o trabalho”, detalhou ainda o chefe do Executivo.

OUTRO LADO

Em nota, as empresas de ônibus da RMTC (Rede Metropolitana de Transporte Coletivo) alegam dificuldades financeiras para operar com toda a frota. O déficit financeiro operacional superou R$ 75 milhões em 10 meses de pandemia.

Confira a nota, na íntegra:

As empresas concessionárias da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) estão com dificuldades para fazer a soltura completa da frota, bem como para manter a operação de todo o sistema.

A crise que assola o setor, que foi agravada com a pandemia, tem feito com que as empresas deixem de pagar fornecedores de insumos como óleo diesel, pneu e outros itens relacionados à frota. Mesmo com todas essas dificuldades e um acúmulo de mais de R$ 75 milhões em déficit financeiro operacional somente nos 10 meses de pandemia, as concessionárias têm feito de tudo para manter o sistema em operação.

Mas, neste momento, a solução emergencial para a crise instalada, é o cumprimento pelos municípios, do Plano Emergencial formulado pelo Estado de Goiás, que, inclusive, foi homologado parcialmente no processo judicial promovido pelo Ministério Público visando assegurar a manutenção da prestação do serviço de transporte público coletivo.

INVESTIGAÇÃO

Em nota, a Polícia Militar do Estado de Goiás informou que ninguém foi preso durante o protesto, mas o caso será analisado pelo comando do policiamento do 27º BPM. Segundo a PM, manifestantes jogaram objetos e desacataram policiais durante o ato.

Confira a nota, na íntegra:

A Polícia Militar do Estado de Goiás informa, que segundo relatos dos policiais militares que atenderam a ocorrência na data de hoje, por volta das 06h, onde ocorreu uma manifestação na GO-010, perímetro urbano do município de Bonfinópolis, com a presença de aproximadamente 250 pessoas, as quais estavam reivindicando melhorias no transporte público.

A Polícia Militar foi até o local da manifestação para garantir a segurança dos manifestantes e manter a ordem, porém com a chegada da polícia militar alguns dos manifestantes, em determinado momento, cercaram e começaram a jogar objetos e a desacatar os policiais militares, na tentativa de impedir que a rodovia fosse liberada.

Após o momento de tumulto, ninguém foi preso e a polícia militar conseguiu desobstruir a rodovia e liberar o tráfego de veículos. Informamos ainda, que o caso será analisado pelo comando do policiamento do 27º BPM, para verificar todas as informações e imagens dos fatos.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta