Greve dos rodoviários do Grande Recife é considerada abusiva pelo TRT

Foto: Reginaldo Silva / Ônibus Brasil

Em decisão apertada, prevaleceu o voto do relator, e greve deve ter fim imediato

ALEXANDRE PELEGI

A greve dos rodoviários do Grande Recife, decretada na terça-feira passada (22), foi julgada abusiva pelo Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT-6) na manhã desta segunda-feira, 28 de dezembro de 2020.

Além disso, a categoria está proibida de retomar a paralisação, suspensa pelo sindicato até o julgamento do dissídio.

Em caso de nova greve a entidade sindical será multada em R$ 100 mil ao dia.

Participaram da audiência do dissidio coletivo representantes do Sindicato dos Rodoviários e do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE).

Em nota, o Sindicato dos Rodoviários afirmou que continuará a organizar a população “para fazer valer a vontade da categoria e da opinião pública: o fim da dupla função e o retorno dos cobradores em todos os ônibus do Recife e da Região Metropolitana”. De acordo com o texto, a categoria deve convocar uma assembleia, ainda sem data, para definir as próximas ações do movimento”.

A Urbana-PE divulgou nota também afirmando esperar que “com a decisão, que a população e a economia locais não sejam mais penalizadas com paralisações ilegais e injustificadas de um serviço essencial, especialmente no contexto de crise no qual nos encontramos“.

Por fim, o TRT desobrigou os empregadores de pagar os salários dos trabalhadores que não compareceram ao serviço, a título de suspensão de contrato.

As empresas poderão também fazer desconto proporcional ao repouso semanal remunerado e vale-alimentação.

GREVE

Como mostrou o Diário do Transporte, na quarta-feira (23) terminou sem acordo a audiência de conciliação entre os donos de empresas de ônibus e os representantes dos rodoviários.

Realizada no Tribunal Regional do Trabalho, o encontro buscava negociar o fim da greve, que tinha iniciado no dia 22 de dezembro.

Apesar de não haver consenso entre as partes, os rodoviários decidiram suspender a greve logo após o encontro.

O Ministério Público do Trabalho (MPT), em parecer assinado pela procuradora do Trabalho Lorena Pessoa Bravo, considerou não haver motivos para “se declarar abusividade da greve deflagrada em 22 de dezembro de 2020“.

Em nota após a decisão de suspender a greve até esta segunda-feira (28), o Sindicato dos Rodoviários afirmou que tomava a decisão “em respeito à população, coisa que nem o governo e nem a patronal têm”.

“Estamos suspendendo a greve da categoria até o dia 28 de dezembro, quando será votado nosso dissídio. Os rodoviários foram obrigados a entrar em greve no último dia 22, pois o acordo estabelecido entre patrões, governo e trabalhadores, no dia 23 de novembro, foi descumprido. Na audiência com o TRT foi combinado o retorno dos cobradores através de uma portaria que revogava a autorização da retirada destes profissionais, que acabou sendo suspensa. Já os patrões descumpriram a estabilidade no emprego por 06 meses e a reposição da inflação no salário e ticket. O Sindicato dos Rodoviários orienta a categoria a acompanhar as redes da entidade com os próximos passos do movimento”.

Os rodoviários fizeram greve reivindicando o fim da dupla função para motoristas nos ônibus da Região Metropolitana, além do reajuste do ticket-alimentação e pagamento do retroativo a partir de julho no salário e no ticket para motoristas e cobradores.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Adilson Francisco de Oliveira disse:

    Esse é o nosso Brasil quem manda é quem tem mais.viva os corruptos.

Deixe uma resposta