Gontijo e Kaissara são as empresas de ônibus que mais receberam reclamações na ANTT, aponta balanço da agência

Ônibus da empresa Gontijo, uma das maiores frotas do País

Entre todas as companhias, gratuidades, atrasos e avaria mecânica são os principais motivos de contatos de passageiros de ônibus com a ANTT

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

A Ouvidoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou nesta quarta-feira, 23 de dezembro de 2020, que o transporte rodoviário coletivo de passageiros foi o tema mais demandado pelos usuários na ouvidoria do órgão no primeiro semestre, com 67.631 manifestações. O total de contatos do cidadão para diversos assuntos foi de 170.662 manifestações, a grande maioria (77,88%) por telefone.

O órgão divulgou nesta semana o balanço da ouvidoria.

De acordo com nota da ANTT, o “Passe livre” foi o assunto mais abordado entre os passageiros, 50,4% nos questionamentos ou pedidos de informação.

Informações sobre “Itinerário/linha/frequência/horário (Longa Distância)” representaram 18,8% dos contatos com o mesmo fim.

A realização/cancelamento de viagens, especialmente no início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), foi o terceiro maior questionamento (13,3%).

Já em relação às reclamações sobre os ônibus rodoviários, o tema que mais motivou contatos com a ouvidoria da ANTT foi Atraso (Longa Distância), com 941 manifestações ou 27,6% de todas as 3.405 reclamações.

“Avaria Mecânica/Defeito em equipamento obrigatório (Longa Distância)” somaram no período 743 contatos, ou 21,8%.

EMPRESAS:

Já em relação às empresas de ônibus, entre rodoviárias e suburbanas, as companhias que mais tiveram registros de reclamações por diversos motivos no primeiro semestre de 2020 foram Gontijo (504), Kaissara (419), Taguatur (309), UTB (261), Novo Horizonte (211), UTIL (210) e TCB TRANSBRASIL (200).

Vale ressaltar que são números absolutos, não ponderando o tamanho da frota e a quantidade de linhas.

Conforme ressalta o ouvidor da ANTT, em nota, Caio Nogueira, o relatório é fundamental para o aperfeiçoamento do trabalho do setor como intermediador de interesses e para promover a interligação entre a ANTT e a sociedade ou o setor regulado. “O documento apresenta-se como uma importante ferramenta de gestão, tanto para o público interno da ANTT, pois ele subsidia as demais unidades organizacionais desta Agência Reguladora para atuarem de forma mais estratégica no aprimoramento dos serviços de transportes terrestres, bem como para o público externo, haja vista que ele contribui para o exercício do controle interno, externo e social”, afirmou.

Veja o balanço na íntegra

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Pablo Ferreira Castro disse:

    Tem que reclama mesmo os ônibus um lixo apertados poltronas velhas banheiro ruim.

Deixe uma resposta