Itapemirim se une à Odebrecht para leilão das linhas 8 e 9 da CPTM

Ainda falta um parceiro financeiro para a licitação, que será realizada em março de 2021

ALEXANDRE PELEGI/ADAMO BAZANI

A Itapemirim, tradicional empresa do setor rodoviário, depois de anunciar a criação de uma empresa aérea, agora decide se unir à Odebrecht (atual Novonor) para disputar leilões na área de infraestrutura. O primeiro desafio será a licitação da concessão das linhas 8 e 9 da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Por meio de nota ao Diário do Transporte, a Itapemirim informou que “será a líder do consórcio e ficará responsável pelos estudos de viabilidade, que consistem na análise técnica, jurídica e econômica da proposta a ser formatada para o projeto, enquanto a OEC fará os estudos especializados de engenharia e concederá os certificados que habilitarão tecnicamente o consórcio para participar da concorrência. A construtora terá exclusividade sobre a realização obras civis previstas no edital.”

Na mesma nota, o proprietário da Viação Itapemirim, Sidnei Piva, disse que a parceria confirma a saúde financeira da empresa com os novos planos de negócios e estrutura junto à OEC (Odebrecht Engenharia & Construção)

Estamos muito felizes em ter ao nosso lado uma empresa com a capacidade da OEC e que acredita também no nosso know-how e solidez de mercado”, afirma Piva.

Já o diretor da OEC para o mercado brasileiro, Raul Ribeiro, destacou no comunicado que a construtora tem experiência no ramo de obras de mobilidade.

“Colocaremos toda a nossa experiência acumulada como construtor, operador e mantenedor de ativos desta natureza à disposição do nosso parceiro e do poder concedente para garantir, dentro dos prazos e custos estabelecidos, que as cidades da região metropolitana contempladas nos trajetos das duas linhas possam usufruir o quanto antes de uma nova referência de serviço de transporte urbano”.

O leilão das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) deverá ser o primeiro teste para a parceria entre os grupos.

Em abril de 2020, o Diário do Transporte já havia noticiado em primeira mão o interesse da Itapemirim pelas linhas da CPTM:

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/04/03/itapemirim-cptm-onibus-novos-empresa-aerea-pneu/

No entanto, ainda falta um parceiro financeiro para a licitação, que está marcada para 02 de março de 2021.

LINHAS 8 E 9 TRANSPORTAM UM MILHÃO DE PASSAGEIROS POR DIA

Ambas as linhas transportam mais de um milhão (1,088 milhão) de pessoas por dia.

A Linha 8-Diamante, que liga Júlio Prestes a Amador Bueno, tem 41,6 Km de extensão e 22 estações, atendendo aos municípios de São Paulo, Osasco, Carapicuíba, Barueri, Jandira e Itapevi, com integrações na Linha 7 Rubi e Linha 9 Esmeralda da CPTM, e na Linha 3 Vermelha do Metrô, e demanda MDU (Movimento em Dias Úteis), em 2019, de 497 mil passageiros transportados/dia.

A Linha 9-Esmeralda, interliga Osasco a Varginha, estende-se por 32 km e tem 18 estações, atendendo às cidades de São Paulo e Osasco, com integrações na Linha 8 Diamante da CPTM, e Linhas 4 Amarela, 5 Lilás e 17 Ouro do Metrô, e demanda MDU, em 2019, de 591 mil passageiros transportados/dia.

EDITAL

O prazo de vigência da concessão das Linhas 8 e 9 da CPTM é de 30 anos, contados a partir da data indicada na ordem de início da operação comercial, conforme definido no contrato.

O valor estimado é de R$ 3.356.000.000,00 (três bilhões, trezentos e cinquenta e seis milhões de reais) na data base de 1º de setembro de 2020, correspondente ao valor do somatório dos investimentos estimados a cargo da concessionária, adicionando o valor da outorga fixa mínima, de R$ 303 milhões.

A definição da frota será parcialmente disponibilizada pela CPTM, em nome do poder concedente. A concessionária deverá adquirir 34 novos trens e realizar a remobilização de dois trens para compor a frota de trens para operação das linhas.

Outros pontos:

– renovação da área do pátio de Presidente Altino, e transferência das atividades de manutenção da CPTM para outros locais;

– modernização dos sistemas de sinalização e telecomunicações;

– aprimoramento do sistema de suprimento de energia; e

– implementação de novo Centro de Controle Operacional.

Alexandre Pelegi e Adamo Bazani, jornalistas especializados em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    União de Gangues.

  2. Vai dar m……. Em um ano e meio uma empresa grande acha que já se recuperou se nem ainda pagou todos os atrasados de ex funcionários?? ITAPEMIRIM TEM UM REI NA BARRIGA,,,tomara que não passe…

  3. Wilton disse:

    Ao invés de tentar entrar em outra modalidade de transporte, a Itapemirim deveria buscar recursos para renovar sua frotas de ônibus, a qual está quase toda sucateada e obsoleta. Além disso, passa por um interminável processo de recuperação judicial com dividas gigantescas.

  4. Marco Contreiras disse:

    Sucesso para Itapemirim e para Odebrecht

  5. Reinaldo Ribeiro disse:

    Inicialmente, o conteúdo do Edital contemplada a extensão da linha 8 Diamante até Sorocaba, reativando a linha Sorocaba-SP, havendo 2 ou 3 projetos já prontos todos para novo traçado e caso se confirme, esclareço que, sendo ferroviário há mais de 65 anos conheço cada pedra, cada dormente desse trecho e ofereço projeto alternativo que poderá significar cerca de 50% menos do que qualquer outro, incluindo tabela de horários e valor signi
    ficativo das passagens até então avaliadas a míseros R$ 12,50 .Caso tenham interesse em conhecer, me contatem.

  6. Adalberto disse:

    E sobre os empregados vocês nada dizem? Serão aproveitados ou demitidos?

Deixe uma resposta para Marco Contreiras Cancelar resposta