Detran.SP implanta talonário eletrônico

Sistema foi projetado em parceria com a Polícia Militar do Estado de São Paulo. Foto: Divulgação.

Objetivo é transmitir multas em tempo real, reduzindo o uso de talões impressos

JESSICA MARQUES

O Detran.SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) informou, em nota, que está implantando um talonário eletrônico. O sistema, projetado em parceria com a Polícia Militar, permite transmissão de multas para a base de dados em tempo real.

O objetivo é oferecer praticidade ao agente e economia com a redução de talões impressos. Assim, policiais militares terão uma ferramenta a mais para o trabalho de fiscalização de trânsito.

O talonário eletrônico vai funcionar com transmissão à base de dados da Prodesp em tempo real pela internet. O projeto piloto está sendo implantado no Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), na Capital, e deve ser ampliado para todo o Estado gradativamente.

“Atualmente, todo o trâmite que envolve um Auto de Infração de Trânsito, desde a lavratura da autuação até a notificação do infrator, leva em média 15 dias. Com o novo sistema, no final do dia a multa já estará lançada na base de dados nacional e, em aproximadamente três dias, com o proprietário do veículo autuado. Além da celeridade, o projeto vai economizar com a compra de talonários impressos, com a logística dos materiais físicos, no deslocamento de profissionais e no tempo do policial militar que atua no trabalho de fiscalização contra o desrespeito às normatizações da legislação de trânsito”, informou o Detran, em nota.

A nova tecnologia ainda vai evitar erros de preenchimento, falta ou repetição de informações no talonário, uma vez que o sistema é informatizado e memoriza dados do veículo e condutor, que já foram anotados anteriormente pelo policial militar, segundo o Detran.

“O principal benefício que a tecnologia do talão eletrônico vai oferecer é a agilidade. Hoje em dia, para aplicação de uma autuação de trânsito, o policial militar leva de 5 a 10 minutos para identificar e preencher o AIT, enquanto que, com o novo sistema, estimamos que o mesmo procedimento seja realizado 10 vezes mais rápido, o que vai possibilitar que o policial seja liberado para exercer outras atividades de fiscalização ou de policiamento preventivo”, afirmou o diretor-presidente do Detran.SP, Ernesto Mascellani Neto, em nota.

Neste projeto piloto, smartphones embarcados com a nova tecnologia já estão disponíveis aos policiais militares do CPtran, Diretoria de Educação para o Trânsito e Fiscalização do Detran. Antes do início das operações, segundo o órgão, os agentes passaram por uma capacitação técnica para utilização correta do sistema.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. O ideal é que o sistema também tenha campos para preenchimento da CNH e dados do CONDUTOR , isto facilitaria também o processo de identificação de pontuação

  2. Sandra disse:

    O carro que meu marido comprou e deu minha filha foi aprendido paguei o lincenciamento e pedi a liberação do veículo aí ir retirar não me deram pós bloquearam a liberação por meu marido ter falecido e não fiz inventário eu acho que se eu não fosse a dona e paguei tudo tem que ser direito de obiter o veículo .
    Por favor me orientar sobre isso urgente pós já a semana que o veículo encontra se pátio e por que meu marido morreu de covid.

    1. vagligeiro disse:

      O ideal é procurar pessoas que lidam com advocacia de trânsito para se informar melhor. Mas imagino que no caso teria que solicitar a justiça alguma espécie de “procuração” devido ao falecimento do marido. Talvez procurar a Justiça de Pequenas Causas também ajude a achar um caminho rápido para resolver.

      Ao mesmo tempo informar que houve tentativa de retirada e alguma forma de compensação pelos dias do veículo no pátio – dado que infelizmente os pátios lucram devido aos dias em cárcere que os veículos ficam.

Deixe uma resposta