ANTT apreende quatro ônibus a serviço da Buser em operação em São Paulo

Ação ocorreu na região metropolitana da capital nos dias 16 e 17 de dezembro

ALEXANDRE PELEGI

Numa operação de combate ao transporte clandestino interestadual de passageiros, a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT realizou, em conjunto com a Guarda Civil Metropolitana de São Paulo, mais uma etapa da Operação Pascal na região metropolitana da capital.

A operação aconteceu nos dias 16 e 17 de dezembro de 2020, quarta e quinta-feira.

Os agentes da ANTT e da GCM/SP executaram um comando operacional conjunto com diversas fiscalizações, autuações e que redundaram em oito apreensões de veículos que atuavam operando transporte clandestino de passageiros.

Ao final da operação, foram impactados 114 passageiros.

Segundo a equipe de fiscalização da ANTT em São Paulo, a Operação Pascal acontece devido ao aumento das denúncias do transporte clandestino de passageiros entre estados durante a pandemia de Covid-19.

Das oito apreensões, cinco dos veículos tinham como destino a cidade de São Paulo/SP, com origem nos municípios de Jequié/BA, Caetité/BA, Belo Horizonte/MG, Itajubá/MG e Curitiba/PR. Os restantes três veículos iniciaram viagem na cidade de São Paulo/SP e tinham como destino Janaúba/MG, Belo Horizonte/MG e Foz do Iguaçu/PR.

Dos oito ônibus apreendidos, quatro estavam a serviço da BUSER TECNOLOGIA, sendo que um deles, de propriedade da transportadora Lídia Transportes, descumpria decisão judicial que impede o aplicativo de contratar viagens com origem ou destino para o Paraná. Nesse caso, o veículo com origem de Curitiba foi apreendido, conduzido ao pátio e a empresa autuada por transporte não autorizado. As demais empresas foram autuadas e também tiveram seus veículos apreendidos.

O Dário do Transporte solicitou a manifestação da Buser Tecologia e aguarda sua resposta para publicá-la neste espaço.

Além das apreensões, a equipe da ANTT encontrou durante a operação uma série de irregularidades relacionadas à segurança, como motorista sem CNH, motorista sem curso para condução de coletivos, pneus carecas, para brisas trincado, aferição de cronotacógrafo vencida, ausência de faixas refletivas extintores de incêndio vencidos e despressurizados.

Todos os veículos apreendidos foram removidos para pátios credenciados pela ANTT e os passageiros foram encaminhados para o Terminal Rodoviário do Tietê em São Paulo/SP em veículos de empresas cadastradas.

Os infratores estão sujeitos a multa no valor de R$ 7.600,00 pelo transporte clandestino. Todos os veículos foram enquadrados na Resolução 4287/14 da ANTT, apreendidos e encaminhados para um depósito credenciado da ANTT por no mínimo 72 horas, sendo sua liberação condicionada à comprovação do pagamento das passagens em empresa regular, bem como as despesas referentes as diárias de pátio e guincho. O valor total das autuações na ação de hoje foi por volta de R$95.000,00”, informa comunicado da equipe da ANTT encaminhado ao Diário do Transporte.

BALANÇO GERAL

A ANTT informa que, mesmo com a pandemia, e da redução da atividade econômica, já apreendeu cerca de 1167 veículos somente em 2020, sendo restituídos ao transporte autorizado cerca de 35.000 passageiros.

A Agência constatou ainda que, embora as linhas regulares tenham reduzido a frequência de viagens desde março/2020, o transporte clandestino seguiu na contramão. A fiscalização aplicou 2.454 Autos de Infração causando um impacto de mais de 13 milhões de reais ao transporte clandestino.

A ANTT tem monitorado o transporte clandestino de passageiros utilizando o Canal Verde Brasil, rede nacional inteligente de percepção, acompanhamento e mapeamento de fluxos de transporte nos corredores logísticos. São pórticos que leem as placas dos veículos na rodovia e dão sua localização em tempo real para ANTT”, informa a autarquia federal, vinculada ao Ministério da Infraestrutura.

A ANTT alerta sobre os perigos de utilizar o transporte clandestino de passageiros. Via de regra, no transporte clandestino os motoristas não possuem treinamento, cumprem jornadas exaustivas de trabalho e os veículos são precários, geralmente apresentando péssimo estado de conservação e manutenção, o que aumenta em quatro vezes a letalidade dos acidentes envolvendo esse tipo de transporte.

Além disso o transporte clandestino de passageiros devido a sua informalidade se torna porta de entrada para que vários crimes possam ser cometidos como descaminho e tráfico de pessoas, animais, drogas e armas.

A ANTT alerta também quanto ao risco de infecção pelo novo coronavírus a que os passageiros que optam pelo transporte clandestino ficam expostos pela não adoção das determinações vigentes de higienização dos veículos.

A Operação Pascal da ANTT segue em todo país e para denunciar o transporte clandestino de passageiros, os usuários podem entrar em contato através do telefone 166, do e-mail ouvidoria@antt.gov.br ou WhatsApp (61) 9688-4306”, conclui a ANTT.

IMAGENS DA OPERAÇÃO PASCAL EM SÃO PAULO


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. João Luis Garcia disse:

    Vejam que nem a Buser e nem a empresa proprietária do ônibus estão cumprindo uma decisão judicial vigente.
    Pois o aplicativo está proibido no estado do PR.
    Realmente o que parece é que eles pregam a total desordem e a o não cumprimento da Lei, resta saber até quando o Poder Judiciário nada fará para combater mais esse absurdo.

  2. João Luis Garcia disse:

    O que mais será que o Poder Judiciário necessita para tomar uma decisão definitiva e colocar um fim nesse ” DE SERVIÇO ” prestado pelas empresas de tecnologia e suas parceiras.

  3. vagligeiro disse:

    Por quê a ANTT NÃO PASSA NENHUM DADO falando de ônibus apreendido da TCB TransBrasil?

    1. Nicolau santos disse:

      Á ANTT nâo pode sequer fiscalizar os Veliculos Da TCB / Transbrasil pois esta empresa ganhou uma liminar dada pela justiça para continuar operando para entender procure por um video do Canal Rotas do Brasil by William Patrick e voçe ver como funciona o esquema todo

  4. Gabriel Juvêncio disse:

    O dia que as empresas regulares não aguentarem mais e quebrarem, gerando uma cascata de desemprego diretos e indiretos ai será tarde para o judiciário fazer alguma coisa, mas com certeza não irão se importar.

  5. FERNANDÃO disse:

    Se não tiver ANTT É CLANDESTINO ,onibus de app tudo clandestino não tem ANTT, mais no BRASIL nada como uma mala de din,pra liberar quem nem carro de app só tem pau véio ,bebado , drogado e bandido.

  6. Rogério disse:

    Fico impressionado como tem pessoas que usam esse tipo de serviço clandestino e de aplicativo. Para mim eles são igual ao usuário de drogas, sabem dos riscos de ficarem sequelados, de perder a vida e mesmo assim utilizam estes serviços criminosos só para dizerem que eles são espertos e são da nova era.
    Realmente eles não se importam com a vida dos profissionais do volante, ajudantes de embarque, mecânicos, ajudantes de limpeza dos veículos, manobristas e outros que uma empresa renomada e responsável paga os salários desses funcionários e seus impostos.
    Empresas que geram capital para o nosso país, aumentando o nosso PIB.
    Será que não ensinam mais isso nas escolas?
    Todo profissional tem o seu valor, o seu gasto é uma vida que tem seus direitos e deveres como qualquer um. Temos que valorizar isso!

    Temos uma geração de mi, mi, mi, mi, NUTELLA, EGOCÊNTRICA, EGOÍSTA, INDIVIDUALISTA, MATERIALISTA que está ajudando a destruir este país que se chama BRASIL.
    UBER, BUSER e outros aplicativos são os perueiros da década de 90, sou a favor de acabar com todos.
    UBER coloca muitos carros poluindo o ar e aumentando o congestionamento do transito das grandes cidades, já usei e vi que a maioria não sabem se portar adequadamente no trânsito e nem obedecem às leis.
    Sou motorista de ambulância mais de 10 anos e 25 de habilitação profissional e digo que muitos estão regredindo como motorista e cidadão.
    Esses aplicativos faz com que muitos deixam de usar os ônibus e o pior, muitas pessoas deixam de caminhar, de conversar com outras, ou seja, estamos chegando no fim do nosso país e do mundo.
    HIPOCRISIA é o que mais está crescendo na sociedade.
    HIPÓCRITAS, só pensam em sim mesmos.

    1. Fábio disse:

      Sem querer defender a Buser ou outros aplicativos, que mimimi é esse? Há opção de usar ou não e o poder público pode fiscalizar, se não o faz direito não é problema meu. Se o usuário quer, o serviço vai permanecer independente de fiscalização ou não e o exemplo esta aí.

      E também não há legislação específica para essa nova modalidade, pois ela não acompanham a nova realidade. E as ditas gerações melhores não é exemplo de nada, chega de hipocrisia de culpar a atual geração por tudo que acontece de errado.

  7. Marcio Peixoto disse:

    Não só aprender estes veiculo. Que são clandestinos claro que temos que combater os crimes que estão por tras disso mais fiscalizar também ad que se dis regular mais e um lixo como as sucatas da são Geraldo que esta com a gontijo não tem água banheiro uma decepção não tem um WIFI. O mínimo um carregador de celular ja estes com preços execivel. Tem vamos fiscalizar todos

  8. Anderson disse:

    Parabéns ANTT TEM que prender mesmo esse tipo de transporte
    Buser fora do sistema já
    Clandestino não

  9. Nicolau santos disse:

    A lei é bem clara todo transporte interestdual que não é autoriza por autarquia (ANTT) é sim clandestino se quiserem regulamente o transporte interestadual de passageiros por aplicativo que se modifique á lei vigente pois a ANTT está cumprindo sua função institcional que lhe foi dada mediante á constituição brasileira além do mais vocé não sabe á banguca que era quando existia o DNER antessucesor da ANTT.

Deixe uma resposta