Viação Piracicabana apresenta proposta de tarifa de R$ 4,80 para novo contrato em Praia Grande

Micro-ônibus em Praia Grande

Valor de remuneração por passageiro foi publicado nesta quinta (17); empresa foi a única a participar de licitação

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Praia Grande, no Litoral Paulista, tornou pública nesta quinta-feira, 17 de dezembro de 2020, a tarifa de remuneração proposta pela Viação Piracicabana que foi de R$ 4,80 por passageiro transportado na licitação dos transportes coletivos da cidade.

O valor foi ajustado pela empresa, única participante do certame.

A tarifa atual paga nas catracas é de R$ 4,65.

Se a proposta da Piracicabana, que já atua no sistema, for aprovada, haverá duas alternativas: a prefeitura aplica os R$ 4,80 para o passageiro diretamente ou cobra valor inferior e subsidia a diferença.

A partir desta publicação, foi aberto prazo para eventuais recursos.

O prazo do contrato é de cinco anos prorrogáveis por mais cinco.

A frota operacional é de 83 veículos, sendo 77 ônibus convencionais e 12 ônibus com capacidade para até 23 assentos, além de frota reserva com seis coletivos, totalizando uma frota com 89 veículos.

A idade média da frota será de até cinco anos e idade máxima individual do veículo de sete anos.

Todos os veículos devem oferecer itens de acessibilidade e a frota terá wi-fi para os passageiros.

O principal critério de julgamento é a menor tarifa de remuneração dos serviços de transportes, configurando, assim, a proposta mais vantajosa para a administração.

INTEGRAÇÃO COM A EMTU:

O edital também diz que durante o prazo de concessão, a Secretaria Municipal de Transportes de Praia Grande poderá autorizar em conjunto com a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo), a integração e adequação de novas linhas do sistema Municipal com o Intermunicipal.

INVESTIMENTOS:

A concorrência prevê investimentos de R$ 43,3 milhões (R$ 43.339.434,86) nos seguintes itens:

– Sistema de Arrecadação Automática – Bilhetagem Eletrônica arbitrado em R$ 7.684,78 (sete mil, seiscentos e oitenta e quatro reais e setenta e oito centavos) por ônibus, perfazendo um total estimado em R$ 683.945,00 (seiscentos e oitenta e três mil, novecentos e quarenta e cinco reais). O Sistema de Arrecadação Automática – Bilhetagem Eletrônica será operado através de validadores instalados nos veículos, nos terminais e estações de transbordo, que comandarão as operações da catraca ou bloqueios de acesso. O sistema deverá propiciar vantagens como: a) Integração municipal/intermunicipal; b) Integração temporal; c) Controle de gratuidades; d) Controle de tarifas reduzidas; e) Estatística operacional on-line.

– Investimento em veículos adaptados para o transporte de usuários portadores de deficiência, através de ônibus com ar condicionado e wifi, conduzidos por motoristas especialmente treinados para esse fim, de acordo com o especificado no Anexo I – Plano de Linhas Municipais, com valor médio ponderado de R$ 441.821,39 (quatrocentos e quarenta e um mil, oitocentos e vinte e um reais e trinta e nove centavos) cada um, sendo que o veículo convencional corresponde à 86,50% da frota total e o ônibus com 23 assentos à 13,50% da frota total, perfazendo um total estimado em R$ 39.322.103,71 (trinta e nove milhões, trezentos e vinte e dois mil, cento e três reais e setenta e um centavos), respeitada a idade média dos veículos;

– Administração (conservação, manutenção, segurança (controle de acesso) e operação) dos Terminais e das Estações de Transbordo.

– Execução de manutenção preventiva e corretiva necessárias dos Terminais de Transporte Tude Bastos, Tatico e Estações de Transbordo;

– Implantação do Sistema de Monitoramento com tecnologia de ponta, em todos os veículos que compõem a Frota Municipal e manutenção nos painéis de monitoramento.

– Custo de instalações, imóveis, máquinas e equipamentos necessários para a operação do sistema

– Implantação de sistema de reconhecimento facial/biometria para controle de benefícios de gratuidades de tarifas com desconto.

– Implantação e manutenção do sistema posicionamento global-GPS em 100% da frota.

– Implantação de aplicativos para informação digital em tempo real dos locais e horários do transporte coletivo via tecnologia digital.

– Implantação de internet sem fio – wifi, no interior dos ônibus, terminais e estações de transbordo disponibilizadas gratuitamente para os usuários.

– Implantação de sistema de monitoramento do transporte coletivo urbano por imagens em 100% da frota, devidamente instalados em lugares estratégicos dentro dos veículos, mínimo duas câmeras para captura de vídeos de alta qualidade.

– As imagens coletadas e armazenadas no sistema de monitoramento por câmeras bem como as transmitidas em tempo real, quando for o caso devidamente justificados deverão ser compartilhadas com demais órgãos oficiais municipais e igualmente serem compartilhadas com órgãos estaduais e federais.

– Disponibilização de canal gratuito de comunicação e Ouvidoria entre os usuários e a Concessionária, integrado com a Concedente.

– A adequada limpeza, conservação e manutenção da frota de ônibus e sua renovação dentro dos limites estabelecidos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta