CPTM e Metrô apresentam novo aplicativo de compra de QR Code para pagamento de passagens

Dois sistemas vão coexistir por tempo indeterminado.

Tecnologia vai gradativamente substituir atuais bilhetes unitários dos sistemas de trilhos. Chamado de TOP, o aplicativo pode ser baixado gratuitamente em celulares de sistema iOS e Android por meio de lojas virtuais Google Play e App Store

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

O governador João Doria e o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, apresentaram na tarde desta sexta-feira, 11 de dezembro de 2020, um novo aplicativo pelo qual será possível comprar códigos QR Code (bidimensional) para serem usados para o pagamento da tarifa nas estações do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Chamado de TOP, o aplicativo pode ser baixado gratuitamente em celulares de sistema iOS e Android por meio de lojas virtuais Google Play e App Store.

O aplicativo que era usado como testes, o VouD foi descontinuado para esta função apenas, como explica a assessoria de comunicação da empesa Autopass, responsável pela tecnologia.

“O aplicativo VouD continua ativo para passageiros realizarem recarga do cartão BOM, Bilhete Único e cartão Legal. A única função migrada no aplicativo VouD foi a que possibilita a compra do bilhete digital QR Code, que agora é feito por meio do aplicativo TOP”

Pelo TOP,  o passageiro vai poder pagar a tarifa unitária com cartões bancários de crédito e débito.

Após a compra, o código é gerado no celular.

As estações da CPTM e Metrô também venderão o código impresso em papel.

Os bilhetes unitários do tipo Edmonson, de papel-cartão com uma tarja magnética, continuam, mas gradativamente deixarão de existir.

O Bilhete Único e o Cartão BOM continuam sendo usados normalmente.

“O momento é de transição, os bilhetes Edmonson, o de tarja magnética, continuam por tempo indeterminado para que os cidadãos possam nas bilheterias, se desejarem, comprarem estes bilhetes. Mas é claro que nosso objetivo é que essa solução tecnológica possa na palma da mão conseguir conquistar a opção do cidadão para que possa com seu telefone, com seu aplicativo, fazer assim a compra mais fácil e sua utilização na CPTM e no Metrô” – disse o secretário Alexandre Baldy.

Em nota, o governo do Estado explica que pelo aplicativo podem ser comparadas dez viagens por dia.

O novo Bilhete Digital QR Code da CPTM e do Metrô tem o mesmo valor do anterior (conhecido como Edmolson), R$ 4,40 por passagem, e conta com a praticidade de poder ser adquirido e utilizado direto pelo celular, por meio do aplicativo TOP, disponível para celulares Android e IOS. O uso do QR Code em versão mobile para pagamento de tarifas torna-se um aliado para uma mobilidade mais segura, uma vez que o pagamento é feito por cartão de débito ou crédito, sem necessidade de manuseio de dinheiro. O passageiro pode adquirir, diariamente, até 10 bilhetes que ficam disponíveis no app sem prazo para expirar.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Igor Barbosa disse:

    Uso pelo voud e pedia a Deus pra que não descontinuasse o projeto, é ótimo não precisar andar com dinheiro para comprar passagem, como trabalho em empresa de ônibus não tenho cartão para ficar recarregando então quando bate a preguiça de pegar ônibus é só comprar a passagem pelo app.

  2. vagligeiro disse:

    Meu Deus, o que custa unificar plataformas de pagamento, de preferência geridas pelo ESTADO e não por empresas.

  3. Thiago disse:

    Cadê o link do APP pra testar….. Escolheram pior nome, sem criatividade, genérico não acha o app nas lojas buscando por esse termo

  4. Adriano Aquino disse:

    Fiz uma compra no me cartão de débito não saiu o bilhete e não consigo entrar em contato com empresa pra estornar o dinheiro no meu cartão o número que tem na máquina nem chama quando eu ligo

Deixe uma resposta