Terminal BRT Campo Grande, em Campinas (SP), começa a operar nesta quarta (09)

Terminal receberá linhas do sistema convencional de transporte público. Foto: Divulgação / Emdec.

Estrutura está na Avenida John Boyd Dunlop (JBD), no Jardim Nova Esperança

JESSICA MARQUES

O Terminal BRT Campo Grande, em Campinas, no interior de São Paulo, vai começar a operar nesta quarta-feira, 09 de dezembro de 2020. A estrutura está localizada na Avenida John Boyd Dunlop (JBD), no Jardim Nova Esperança.

Com o início das operações, a implantação do BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Trânsito Rápido) de Campinas chega ao terceiro terminal ativado, segundo a Prefeitura.

A data de início das operações foi divulgada pela Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas). A estrutura será operada por linhas do sistema convencional de transporte público.

Segundo a Emdec, o Terminal BRT Campo Grande tem área total de 30 mil metros quadrados e conta com cinco plataformas integradas de embarque e desembarque de passageiros, com estrutura metálica e piso em granito. São três plataformas de piso baixo (padrão BRS) e duas plataformas de piso elevado, dedicadas ao futuro sistema BRT.

“As plataformas destinadas aos veículos BRT contam com fechamento em vidro laminado duplo, portas automáticas, catracas eletrônicas de acesso e semáforos externos para orientação da parada do ônibus na plataforma. Quando ativadas, os veículos BRT irão operar em sincronia com as portas automáticas”, detalhou a Emdec.

O espaço conta com 12 faixas internas para circulação de ônibus. A estrutura é totalmente acessível, conta com rampas, corrimões e piso tátil. A iluminação é em LED.

“Foram construídas duas bilheterias em pontos estratégicos, além de uma área de apoio (Central de Controle Operacional – CCO), que tem 350 metros quadrados. Totens informativos irão orientar o embarque dos usuários”, informou também a empresa municipal, em nota.

Outros dois terminais já estão em operação: Satélite Íris, na Avenida JBD; e Santa Lúcia, na Avenida Ruy Rodriguez. O projeto prevê outros quatro terminais de ônibus: Mercado, Campos Elíseos, Ouro Verde e Vida Nova.

BRT DE CAMPINAS

Ainda segundo a Emdec, as obras do terminal integram o Lote 2 do BRT e são parte do trecho 3 do Corredor Campo Grande. A responsável pela execução das obras é a empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio.

“Mais de 87% do Corredor BRT Campo Grande já está liberado para circulação, totalizando 15,7 quilômetros de faixas exclusivas, desde região central, chegando ao Jardim Aurélia até o Jardim Nova Esperança. O projeto do BRT como um todo já soma 16 trechos e quase 30 quilômetros liberados para circulação”, detalhou a Emdec.

No total, o BRT Campo Grande tem 17,9 quilômetros de extensão, sai da região central, ao lado do Terminal Mercado, segue pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida John Boyd Dunlop, passando pelo Terminal Campo Grande e chega ao Terminal Itajaí.

Considerando toda a obra de mobilidade, está prevista a construção de três corredores BRT – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral. São 36,6 quilômetros de corredores, 18 pontes e viadutos, 36 estações e sete terminais. Com custo total de R$ 451,5 milhões, a obra beneficiará, diretamente, 450 mil pessoas.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. D lins disse:

    Parabéns pelo trabalho, seria bom com vídeos também para dar uma visão melhor do que ocorre 👏👏👏👍

Deixe uma resposta