Aliança ZEBRA articula US$ 1 bilhão para ampliar ônibus não poluentes na América Latina

Ônibus híbrido em Santo André, no ABC Paulista

“Zero-Emission Bus Rapid-deployment Accelerator” anuncia no próximo dia 10 de dezembro o acordo e a lista de fabricantes de ônibus e investidores

ADAMO BAZANI

No próximo dia 10 de dezembro de 2020, a Aliança ZEBRA (Zero-Emission Bus Rapid-deployment Accelerator) anuncia oficialmente um acordo e a lista de fabricantes de ônibus e investidores que irão impulsionar a expansão dos coletivos menos poluentes na América Latina nos próximos 12 meses.

A meta da aliança internacional é alcançar até US$ 1 bilhão (R$ 5,3 bilhões) em investimentos com a ampliação da rede de parceiros, segundo nota da entidade.

Estas empresas e os investidores querem acelerar a troca de tecnologia de tração do transporte coletivo.

Brasil, Chile, Colômbia e México são exemplos de países que devem ser contemplados pelas ações.

Ainda de acordo com a nota, “a mudança de ônibus movidos a combustíveis fósseis para veículos zero emissões é fundamental para melhorar a qualidade do ar nas cidades e combater as mudanças climáticas. O transporte representa uma grande parte das emissões de gases do efeito estufa nas quatro cidades principais da aliança ZEBRA: 71% na Cidade do México; 43% em Medellin; 79% em Santiago; e 61% em São Paulo.”

No mesmo comunicado à imprensa, o porta-voz do ZEBRA, Thomas Maltese, destacou a importância da América Latina para a mudança de tecnologia dos ônibus.

“A América Latina é um dos líderes globais na transição para ônibus zero emissões. Esses compromissos vão acelerar essa mudança, demonstrando que a tecnologia e o capital estão disponíveis para que a região tenha cidades mais limpas e saudáveis e combata a emergência climática”, disse Thomas Maltese.

O ZEBRA é custeado pelo P4G (Partnering for Green Growth and the Global Goals 2030), organismo que financia e reconhece parcerias público-privadas inovadoras que impulsionam o crescimento verde, sendo  uma parceria entre a rede da C40 Cities e o Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta