História

CPTM abre licitação para obras de acessibilidade nas estações Capuava e Prefeito Saladino da linha 10-Turquesa

Estação Prefeito Saladino dá acesso ao Terminal Rodoviário, ao SESI, a empresas e comércios na região

Estações da ligação entre o Brás e Rio Grande da Serra estão entre as mais antigas da rede e queixas dos passageiros são constantes

ADAMO BAZANI

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) vai contratar uma empresa ou consórcio para realizar obras de acessibilidade nas estações Capuava e prefeito Saladino da linha 10-Turquesa.

O aviso de licitação foi publicado neste sábado, 28 de novembro de 2020, e o edital vai ser disponibilizado na íntegra a partir de segunda-feira, 30. Já as entregas de propostas devem ocorrer no dia 23 de dezembro de 2020.

No edital serão detalhadas as intervenções e a relação dos tipos de equipamentos que serão instalados.

A linha 10-Turquesa da CPTM integra parte do antigo trajeto da SPR (São Paulo Railway), a linha Santos – Jundiaí, que é a primeira ferrovia do estado de São Paulo e uma das mais antigas do País, iniciando a operação em 1867.

Ao longo deste tempo, obviamente que foram feitas reformas, remodelações e ampliação, mas pouco foi realizado na linha quanto a acessibilidade, o que é uma reclamação constante dos passageiros.

A prioridade é para pessoas com deficiência, mas acessibilidade é para todos os passageiros, independentemente da condição, uma vez que amplia o conforto e a segurança no ambiente.

De acordo com o site “Estações Ferroviárias do Brasil”, o prédio atual da Estação Capuava foi construído em 1960. A estação foi aberta como um posto telegráfico em 1920, se tornando estação já com a estrutura atual em 1960.

Ainda de acordo com o mesmo portal, o prédio atual da estação Prefeito Saladino foi inaugurado em 29 de março de 1966. O início do atendimento ao local foi em 1952, ainda apenas como uma parada para atender aos trens de subúrbio da Santos-Jundiaí.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta