Diário no Sul

Curitiba anuncia uso de inteligência artificial para medir distanciamento social no transporte público

Ônibus em Curitiba

Aplicativo foi desenvolvido pelo BID e tecnologia está hospedada no CCO da Urbs

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Curitiba (PR) anunciou o uso de tecnologia artificial para monitorar o distanciamento social nos terminais e estações-tubos de ônibus do sistema municipal e reduzir o risco de contágio pela Covid-19.

De acordo com nota da administração, o aplicativo chamado Distância2 foi desenvolvido pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e disponibilizado sem custo ao município.

Ainda de acordo com a nota, a tecnologia está hospedada em um servidor no CCO (Centro de Controle Operacional) da Urbs (Urbanização de Curitiba S.A.), gerenciadora do sistema de transportes.

A prefeitura explicou que “O Distância 2” coleta dados de dez câmeras localizadas em terminais e estações-tubo com grande demanda.

Estão sendo monitoradas as estações Central (sentido Santa Cândida); Eufrásio Correia (sentido Leste); Praça Carlos Gomes (sentido Boqueirão); e Praça Rui Barbosa (sentido Pinheirinho). Já os terminais com monitoramento são Boqueirão (sentido Centro); Capão Raso (sentido Centro); Pinheirinho (sentido Carlos Gomes); Pinheirinho (sentido Rui Barbosa);  Portão (sentido bairro); e Sta. Cândida (sentido Centro).

Ao detectar por meio de algoritmo que o distanciamento entre as pessoas é inferior a dois metros, o aplicativo gera alertas.

Na nota, a prefeitura diz que o algoritmo processa as imagens das câmeras quadro a quadro e gera indicadores e mapas de calor que podem mostrar onde eventualmente esteja ocorrendo aglomerações para a intervenção das equipes dos transportes.

No mesmo comunicado, a administração explica ainda que os alertas são gerados para os painéis dos terminais e estações para os próprios usuários se afastarem e para as equipes de fiscalização para organizarem os espaços.

Veja na íntegra:

Como funciona

Para calcular o distanciamento, o aplicativo usa um algoritmo que processa as imagens, quadro a quadro, e que, após identificar as pessoas, calcula a distância entre elas.

O aplicativo permite também o registro das informações em base de dados ou armazenamento na nuvem, a geração de indicadores e a formatação de mapas de calor para a avaliação dos horários de picos de movimento em polos de grande fluxo.

A ferramenta recebe o vídeo, processa as informações a partir de IA e entrega um conjunto de dados que podem ser visualizados. Nenhuma informação privada de indivíduos é utilizada, uma vez que nenhum traço particular ou característica única é analisado. As pessoas são detectadas anonimamente e a distância entre elas é estimada.

Alerta

O sistema possui um painel de controle para fornecer dados úteis para a tomada de decisões. Em caso de aglomerações é possível emitir alertas para que as pessoas possam guardar distância segura entre si.

O alerta para as pessoas chega através de mensagens enviadas aos painéis de mensagens variáveis (PMV) instalados nos terminais e também com orientações realizadas pelos fiscais escalados nestes locais. O alerta é instantâneo, assim que identificada aglomeração, o operador do CCO envia mensagem para o PMV e aciona o fiscal mais próximo para orientações. As câmeras monitoram 24 horas e a fiscalização tem turno de trabalho entre 6h e 24h.

“O Distância2 pode auxiliar a identificar, de maneira autônoma, locais onde haja grande demanda de passageiros e que necessitem de reforço nas linhas de ônibus que atendam estes locais. Dessa maneira, tem se apresentado como ferramenta acessória ao trabalho dos fiscais, direcionando-os para onde é necessário”, explica Clodoaldo Valentim, coordenador do CCO.

Os dados coletados até agora mostraram que o distanciamento médio entre as pessoas nos locais avaliados está em 2,59 metros.

O objetivo é que os testes sirvam para identificar as suas aplicações imediatas e futuras.

“A intenção é ampliar o uso da Inteligência Artificial utilizando a infraestrutura instalada de câmeras no próprio transporte e também em parques e praças onde haja grande movimento”, explica Ana Jayme, arquiteta e assessora de investimentos do Ippuc.

O Distância2 já está em operação em cidades como Buenos Aires, Bogotá, Medellin, e Quito, no Equador, além de mais nove cidades em território equatoriano.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta