Viação Grajaú tem paralisação relâmpago na zona Sul da capital paulista

Ônibus da Viação Grajaú na garagem na tarde desta terça-feira (10)

Trabalhadores reclamam de problemas internos da companhia. Serviços foram retomados gradativamente e SPTrans acompanha

ADAMO BAZANI

Passageiros de ônibus que utilizam as linhas da Viação Grajaú, na zona Sul da capital paulista, foram surpreendidos no início da tarde desta terça-feira, 09 de novembro de 2020, com uma paralisação relâmpago de funcionários da empresa.

Os funcionários reclamam de questões trabalhistas internas como  remanejamentos nas escalas,  compensação das folgas que consideram inadequadas, remuneração das férias não condizentes com a especificações dos holerites,  cobranças indevidas das avarias e tabelas com veículos diferentes para o mesmo motorista para registro de cumprimento de frota determinado pela SPTrans.

O Diário do Transporte procura um posicionamento da empresa por meio do SPUrbanuss, sindicato que reúne as viações da cidade de São Paulo, que por meio de nota diz que cumpre o que determina a lei trabalhista e que o remanejamento de escalas é habitual em empresas de ônibus.

Realmente fomos surpreendidos por uma paralisação relâmpago no dia de ontem, porém, nos apressamos em esclarecer os pontos com os representantes da categoria que consistiam em cancelamento das folgas durante os dias da semana e remanejamento da escala. No tocante a folgas ficou esclarecido que a empresa cumpre rigorosamente o que determina a CLT e o Acordo Coletivo da Categoria. Quanto a remanejamento da escala se trata de um  processo natural e normal em toda empresa de ônibus.

A SPTrans informou que uma assembleia na garagem durou 45 minutos e que depois a situação foi se normalizando.

A SPTrans informa que das 13h às 13h45 alguns operadores da Viação Grajaú participaram de uma assembleia na garagem. Após a assembleia a operação destes veículos retornou gradativamente. As equipes de monitoramento e fiscalização da SPTrans seguem acompanhando a fim de garantir o atendimento aos passageiros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Thiago disse:

    Se ta ruim na Grajaú imagina na Transwolff.

Deixe uma resposta