Assunção, no Paraguai, suspende pagamento exclusivo de passagem de ônibus com cartão eletrônico

Foto: Ministério de Obras Públicas e Comunicações (MOPC)

Uso exclusivo da bilhetagem eletrônica foi implantado em 23 de outubro deste ano, mas muitos usuários tiveram dificuldades para obter o cartão

ALEXANDRE PELEGI

O Vice-Ministro dos Transportes, Pedro Britos, anunciou neste sábado, 07 de novembro de 2020, que o pagamento exclusivo da passagem do transporte público por meio de cartões eletrônicos está suspenso até 31 de dezembro deste ano.

O Vice-Ministério dos Transportes está vinculado ao Ministério de Obras Públicas e Comunicações do governo do Paraguai.

Com a suspensão da exclusividade do uso do meio de pagamento, o usuário do transporte público poderá pagar a passagem tanto com cartão eletrônico quanto com dinheiro.

A decisão foi tomada devido à dificuldade que muitos usuários dos transportes públicos encontraram para obter bilhetes eletrônicos.

Enquanto persistir a suspensão da obrigatoriedade do uso do novo meio de pagamento, o Vice-Ministério dos Transportes implantará novas estratégias para que todos possam obter os cartões.

Vamos suspender a obrigatoriedade de pagamento do bilhete até resolvermos a questão logística. São cartões, estamos tentando chegar ao povo”, disse o Vice-Ministro.

Nas duas semanas de implementação da bilhetagem eletrônica já foram feitas mais de 5 milhões de viagens com este sistema, e atualmente existem cerca de 8.000 pontos de venda dos cartões.

No entanto, a governo paraguaio estima que cerca de 100 mil cartões ainda estão nas mãos de revendedores que esvaziaram os pontos de venda e especulam sobre o preço.

Nesta nova fase, o Governo pretende aplicar algumas estratégias contra a revenda de cartões. O Vice-Ministro ressaltou que até a Câmara dos Senadores está analisando a aplicação de penalidades contra a atividade, que coloca em risco o bom funcionamento do serviço público.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta