ANTT apreende três ônibus em São Paulo em ação contra transporte clandestino

Operação realizada na manhã deste sábado, 07 de novembro de 2020, contou com a parceria da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo

ALEXANDRE PELEGI

Em mais uma etapa da Operação Pascal, que combate o transporte clandestino interestadual de passageiros, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) executou na cidade de São Paulo e seus principais acessos na manhã deste sábado, 07 de novembro de 2020, um comando operacional de rotina que resultou em diversas fiscalizações.

Com autuações e três apreensões de veículos realizando transporte irregular de passageiros, a equipe de fiscalização informa que a operação afetou 120 passageiros.

A ação contou com a parceria da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo/SP.

A fiscalização acontece devido ao aumento das denúncias do transporte clandestino de passageiros entre estados durante a pandemia de Covid-19.

Dos ônibus apreendidos, dois tinham como origem São Paulo/SP e como destinos Euclides da Cunha/BA e Caruaru/PE.

O terceiro ônibus saíra de Feira de Santana/BA com destino a São Paulo/SP.

A operação se deparou com irregularidades relacionadas à segurança, como para-brisas trincados, extintor de incêndio vencido e motorista sem comprovação de curso para transporte de passageiros.

Os veículos apreendidos pelos fiscais da ANTT foram encaminhados para o Terminal Rodoviário do Tietê em São Paulo, para que as empresas infratoras providenciassem para que os passageiros seguissem viagem de forma segura em empresas regulares.

Os veículos foram removidos para pátios credenciados pela ANTT.

Segundo comunicado da ANTT encaminhado ao Diário do Transporte, a ANTT informa que os infratores estão sujeitos a multa no valor de R$ 7.600,00 pelo transporte clandestino. “Todos os veículos foram enquadrados na Resolução 4287/14 da ANTT, apreendidos e encaminhados para um depósito credenciado da ANTT por no mínimo 72 horas, sendo sua liberação condicionada à comprovação do pagamento das passagens em empresa regular, bem como as despesas referentes as diárias de pátio e guincho. O valor total das autuações na ação de hoje foi por volta de R$34.000,00”.

Apesar da pandemia, e da redução da atividade econômica, a ANTT confirma que já apreendeu cerca de 1049 veículos somente em 2020, sendo restituídos ao transporte autorizado cerca de 31 mil passageiros.

A constatação da Agência é que, embora as linhas regulares tenham reduzido a frequência de viagens desde março/2020, o transporte clandestino seguiu na contramão.

A fiscalização aplicou 2.290 Autos de Infração causando um impacto de mais de 12 milhões de reais ao transporte clandestino.

“A ANTT tem monitorado o transporte clandestino de passageiros utilizando o Canal Verde Brasil, rede nacional inteligente de percepção, acompanhamento e mapeamento de fluxos de transporte nos corredores logísticos. São pórticos que leem as placas dos veículos na rodovia e dão sua localização em tempo real para ANTT”, informa o comunicado.

Por fim, a ANTT alerta sobre os perigos de utilizar o transporte clandestino de passageiros. “Via de regra, no transporte clandestino os motoristas não possuem treinamento, cumprem jornadas exaustivas de trabalho e os veículos são precários, geralmente apresentando péssimo estado de conservação e manutenção, o que aumenta em quatro vezes a letalidade dos acidentes envolvendo esse tipo de transporte”.

Devido a sua informalidade, informa a Agência, o transporte clandestino de passageiros d se torna porta de entrada para que vários crimes possam ser cometidos como descaminho e tráfico de pessoas, animais, drogas e armas.

“A ANTT alerta também quanto ao risco de infecção pelo novo coronavírus a que os passageiros que optam pelo transporte clandestino ficam expostos pela não adoção das determinações vigentes de higienização dos veículos.

A Operação Pascal da ANTT segue em todo país e para denunciar o transporte clandestino de passageiros, os usuários podem entrar em contato através do telefone 166, do e-mail ouvidoria@antt.gov.br ou WhatsApp (61) 9688-4306”.

VEJA VÍDEOS REALIZADOS PELA EQUIPE DA ANTT DURANTE A OPERAÇÃO:


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. João Luis Garcia disse:

    E aí poder judiciário
    Quando vocês entrarão em ação ?

  2. Antonio Morales disse:

    Se as empresas não ficarem em cima da ANTT e se for possível dar até apoio, essas empresas de app vão fazer como fizeram com os táxis, corromper todo sistema judiciário, então façam o q tiver q fazer, não dêem moleza, apreensão e multa

Deixe uma resposta