Mais sete veículos do transporte clandestino são apreendidos pela ANTT e PM no Agreste e Sertão de Pernambuco

Um dos veículos sendo apreendido pela agência

Desde domingo, foram 11 coletivos que seguiriam para o de Ceará, Alagoas e Sergipe

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI

A ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres com apoio da Polícia Miliar realizou nesta terça-feira, 20 de outubro de 2020, a apreensão de mais sete veículos realizando transporte clandestino em Pernambuco.

Desde domingo (18), já foram 11 apreensões.

De acordo com a agência, em divulgação nessa quarta (21), os trabalhos ocorreram nas cidades de Caruaru/PE, Sertânia/PE e Agrestina/PE, tinham como destino diversas cidades dos Estados de Ceará, Alagoas e Sergipe.

A ANTT informou que todos estes veículos tinham diversas irregularidades que colocam em risco a vida dos passageiros, como pneus carecas, para-brisas trincados, excesso de passageiros, ausência de cintos de segurança, extintor de incêndio descarregado e/ou sem extintor.

“Além disso, os veículos não possuíam seguro de responsabilidade civil e transportavam bagagens e/ou encomendas amontoadas sob as poltronas, que em caso de uma freada rápida, com o deslocamento, podem até matar um passageiro.” – diz nota da Agência.

As apreensões ocorreram no âmbito da Operação Pascal da ANTT de combate ao transporte Clandestino, realizada em todo o País.

A ação em Pernambuco contou com a parceria do BPRV da PMPE e 3º BPM de Sertânia nessa etapa denominada FEIRA DA SULANCA.

RODOVIÁRIA CLANDESTINA

A ANTT informou também que interditou um local que comercializava passagens para o transporte clandestino, nas proximidades do Terminal Rodoviário de Caruaru/PE.

Era uma espécie de rodoviária clandestina.

Ainda de acordo com a ANTT, os veículos não possuíam seguro de responsabilidade civil e transportavam bagagens e/ou encomendas amontoadas sob as poltronas, “que em caso de uma freada rápida, com o deslocamento, podem até matar um passageiro”.

Em todos os veículos apreendidos a ANTT detectou ainda a grande quantidade de pessoas transportadas sem documentos. Isso é uma infração, já que em veículos regulares a identificação de todos os passageiros é obrigatória.

Os veículos apreendidos são encaminhados ao depósito, onde são liberados somente após o pagamento das despesas referentes a guincho e diárias de pátio. Além disso, quem conduzia o transporte irregular deverá comprovar o pagamento de passagens a todos os passageiros em empresa regular para a continuidade da viagem.

A ANTT, desde o início de 2020, já apreendeu 908 veículos, em todo país, realizando transporte clandestino interestadual de passageiros.

Foram emitidas multas no valor de R$ 10,7 milhões e 27 mil passageiros foram realocados em transportes regulares, com as passagens pagas pelas empresas infratoras. A operação de fiscalização segue em outras regiões.

IMAGENS DA AÇÃO


Adamo Bazani e Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta