Caio apresenta novos itens de proteção contra a Covid-19 em ônibus urbanos

Segundo fabricante, não há alterações nas formas e texturas dos equipamentos com o tratamento especial

Balaústres, apoios de braços, poltronas, garras e materiais encapsulados em PVC receberam um aditivo durante o processo de manufatura

ADAMO BAZANI

A fabricante de carrocerias de ônibus Caio, de Botucatu (SP), apresentou nesta quarta-feira, 21 de outubro de 2020, novos equipamentos que, segundo a empresa, podem reduzir o risco de contágio pela Covid-19 no transporte coletivo.

Entre as novidades do pacote denominado Caio Protect estão balaústres, apoios de braços, poltronas, garras e materiais encapsulados em PVC que receberam um novo aditivo durante o processo de fabricação que confere a estes uma propriedade “antiviral”.

A equipe de “Inovação e Produtos Especiais da Caio – OniPlus” garantiu, em comunicado à imprensa especializada como o Diário do Transporte, que o aditivo não altera o design, aparência (textura), durabilidade, limpeza e manutenção desses itens.

Segundo a nota, a eficácia do tratamento com o aditivo na fabricação dos componentes foi comprovada por meio “de estudo in vitro de atividade antiviral, realizada por laboratório certificado de acordo com a ISO 21702:2019, norma padrão que se refere à medição da atividade antiviral em plásticos e outras superfícies não porosas”.

A empresa ainda explicou que os materiais foram submetidos a testes com vírus da mesma família do Sars-CoV-2, com genoma RNA pertencentes à família Coronaviridae, nos quais foram quantificadas as atividades virais em amostras com e sem o aditivo antiviral.

Na mesma nota, o engenheiro de produto da Caio, Rafael Ting Sun Guimarães disse que o laudo final do estudo comprovou a redução de 99,9% de partículas virais nos materiais produzidos com o aditivo antiviral.

“A drástica redução da atividade viral demonstra que esses materiais são altamente eficientes no combate a vírus e bactérias. O fato dos testes terem sido realizados com vírus da mesma família do Sars-CoV-2, atesta que nossos materiais são adequados para o uso cotidiano, colaborando para a segurança biológica de milhares de passageiros que utilizam o ônibus como meio prioritário de transporte”, disse.

O diretor comercial, Paulo Ruas, disse no comunidado que juntamente com a Busscar, fabricante de ônibus rodoviários do mesmo grupo, foram desenvolvidos diversos outros produtos e equipamentos para deixar as viagens mais seguras do ponto de vista sanitário.

“O objetivo macro é oferecer produtos de fácil e rápida aplicabilidade nos ônibus, aliada ao custo acessível e à garantia da proteção contra vírus e bactérias. Esse conjunto de soluções englobam as fabricantes de ônibus Caio e Busscar, marcas engajadas em tornar a mobilidade coletiva, tanto urbana quanto rodoviária, mais segura e confiável” .

Entre os itens destacados pelas encarroçadoras de ônibus do grupo Caio/Busscar estão:

– Tecido antiviral: usado em áreas que podem ter contato com os usuários, foi desenvolvido com fio de Poliamida AMINI® VIRUS-BAC OFF, inativando vírus e bactérias que entram em contato com o material. O efeito da ação antiviral é permanente (durante toda a vida útil do tecido). O material está disponível nas estampas Kaleidos Cinza, Azul e Azul / Amarelo;

– Kit de proteção da cabine do motorista, cabine do cobrador e passageiros que estão em grupo de risco: a proteção dificulta o contato direto com outros passageiros e pode ser instalada em veículos em operação. O Kit de soluções de proteção é de fácil limpeza e manutenção;

– Sinalização de assento identificado em vinil ou silk: promove o adequado distanciamento social por meio de cores que identificam os assentos que podem ou não ser utilizados, de forma rápida e com custo acessível;

– Medidor de temperatura: com tempo curto de resposta, o sensor acusa por alerta sonoro se o passageiro está ou não com a temperatura fora do padrão. Sem contato, mantém uma distância segura de outros passageiros;

– Higienizador de mãos: com sensor de aproximação e vazão ajustável, o item possui acionamento automático e capacidade para 700 ml de álcool em gel. Também disponível na versão manual (dispenser);

– Purificador de ar (plasma fotoelétrico): ar purificado, que mantém os ocupantes do salão interno do ônibus, livres de agentes nocivos como micróbios, odores e contaminação.

Na nota, Paulo Ruas finaliza destacando a importância de parcerias com universidades para o desenvolvimento destes e de novos equipamentos.

“Em especial para a Caio e Busscar, as pesquisas e parcerias com universidades foram voltadas para mitigar a propagação de vírus, bactérias e fungos no ambiente interno dos ônibus”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta