ENTREVISTA: Russomanno promete buscar formas para não aumentar tarifa e aumentar velocidade dos ônibus

Russomano em campanha nesta segunda-feira, 19

Candidato ainda fala em “parceria” com o Metrô e readequação dos contratos, mas sem rompimento

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

Ouça:

O candidato à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, disse na manhã desta segunda-feira, 19 de outubro de 2020, em entrevista ao Diário do Transporte que quer encontrar formas de deixar o transporte coletivo da cidade mais eficiente e, assim, evitar aumento de tarifa dos ônibus, caso seja eleito.

“Eu sou contra aumento de qualquer coisa, eu sou contra aumento de impostos, de tudo (…) Não posso me antecipar [sobre se vai ou não haver aumento de tarifa] , eu posso dizer que nós vamos estudar todos os mecanismos necessários para que a gente tenha o melhor serviço e não tenha aumento de tarifa” – falou

O candidato também prometeu aumentar a velocidade operacional dos ônibus .

Uma das formas, segundo ele, seria monitorar a velocidade para aumentar a eficiência e, consequentemente, a capacidade de atendimento.

“É como se fosse um ciclo, quanto mais rápido o [o ônibus] anda, mais pessoas leva e menos lotado estará o ônibus.” disse

O candidato do Republicamos disse ainda que pretende ampliar parcerias com o Metrô, incentivar outros modos de transporte e conversar com outros prefeitos da Grande São Paulo para medidas em conjunto na área de mobilidade,

A busca de recursos internacionais para o transporte é outra promessa também.

A respeito dos contratos com as viações, Russomanno disse que serão mantidos, mas que podem ser feitas adequações.

O Diário do Transporte tem realizado entrevistas com os candidatos, sendo que algumas foram publicadas e outras ainda irão ao ar

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Após ler isto, me deu impressão que Celso não conhece a cidade, e seus diversos corredores. Há sim alguns que precisam e muito serem readequados, como M´Boi Mirim: alargamento, e corredores mais sedimentados (reforço na pista), já o corredor Francisco Morato flui bem, inclusive na velocidade média de 40/50km, somado à Rebouças e Consolação, Ou seja ligação centro -Campo Limpo em meia hora. Os meios de interligações/integração funcionam, a questão maior é o centralismo do trabalho na região expandida do centro, Já Paulista, Faria Lima e Berrini é questão de redução de autos particulares, aumento de carros por app em detrimento à coletividade, além claro aumento de motoboys. A centralidade de capital atrai muita gente para o centro desencadeando inclusive serviços ilegais, insegurança, lixo. e por conseguinte não agregam impostos como o comércio legal. Isso precisa ser revisto à quem ocupar a cadeira.

Deixe uma resposta