Vendas de ônibus acumulam queda de 34% de janeiro a setembro de 2020

Publicado em: 2 de outubro de 2020

De acordo com a federação, foram vendidos 13.081 ônibus no acumulado do ano de 2020. Foto: Divulgação / MobiBrasil.

Levantamento foi divulgado pela Fenabrave nesta sexta-feira (02)

JESSICA MARQUES

As vendas de ônibus no Brasil acumulam uma queda de 34% de janeiro a setembro de 2020. O levantamento foi divulgado pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) nesta sexta-feira, 02 de outubro de 2020.

De acordo com a federação, foram vendidos 13.081 ônibus no acumulado do ano de 2020. No mesmo período do ano passado, foram 19.830 unidades.

Além disso, a Fenabrave informou que em setembro os emplacamentos de ônibus registraram retração de 13,62%, na comparação com agosto, totalizando 1.535 unidades, comparadas 1.777 do mês anterior.

Comparando setembro com o mesmo mês de 2019, foram 2.323 unidades vendidas, o que representa uma queda de 33,92%.

“O segmento de ônibus continua enfrentando problemas gerados pela pandemia, que fizeram com que as empresas de transporte, tanto as urbanas quanto as rodoviárias, retraíssem sua frota circulante. Até agora, grande parte do volume vendido se deve ao Programa Caminho da Escola, do Governo Federal”, informou a Fenabrave, em nota.

No ranking histórico, este mês está na 16ª colocação entre todos os meses de setembro, e o acumulado deste ano ficou na 17ª posição, desde o início da série histórica, desde 1957.

PROJEÇÃO PARA 2020

A cada trimestre, a Fenabrave reavalia as projeções para o ano, conforme dados da MB Associados, consultoria econômica da entidade.

Com a recuperação dos patamares de vendas nos últimos meses, a retração prevista para 2020 foi revisada pela federação.

Em julho, já sob os efeitos da pandemia, estimava-se que a queda no ano, considerando todos os setores, seria de 35,8%. Agora, a previsão é que 2020 encerre com retração de 25,3%.

Em ônibus, por sua vez, o crescimento de 16% na primeira estimativa foi revisado para uma queda de 39,1%, em julho, por conta da pandemia de Covid-19. Agora, a retração prevista é de 33,1%, na última estimativa.

FRETAMENTO E CAMINHO DA ESCOLA

O segmento de transporte foi diretamente afetado pela pandemia de Covid-19. Por consequência, a produção de ônibus também foi comprometida.

Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, os segmentos de fretamento e escolares estão contribuindo para a produção de ônibus no país.

Relembre: ENTREVISTA: Fretamento e escolares contribuem para produção de ônibus, mas não há previsão para recuperação do setor

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta