Marcopolo confirma oficialmente fim da unidade de urbanos do Rio de Janeiro em 30 de outubro

Publicado em: 2 de outubro de 2020

Matéria publicada originalmente na sexta-feira, 02 de outubro de 2020, às 9h07

Segundo empresa, medida é para redução de custos e incremento da eficiência com a concentração das operações brasileiras em um número menor de fábricas

ADAMO BAZANI

Por meio de “Fato Relevante” ao mercado, a Marcopolo S.A. confirmou nesta sexta-feira, 02 de outubro de 2020, oficialmente o fim das operações da planta em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro-RJ.

O fechamento da planta, especializada em modelos urbanos, ocorrerá no dia 30 de outubro de 2020.

A produção será transferida para a planta de São Mateus, no Espírito Santo, a para unidades de Caxias do Sul.

O Diário do Transporte teve acesso ao comunicado. O perfil Ônibus Minha Segunda Casa tinha adiantado o fechamento da unidade.

Veja o fato publicado na íntegra:

FATO RELEVANTE

 

MARCOPOLO S.A. (“Companhia”), em cumprimento ao disposto no art. 157, §4º, da Lei nº 6.404/76 e na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 358/2002, vem informar aos seus acionistas e ao mercado em geral, que o Conselho de Administração, em reunião nesta data, aprovou o encerramento das atividades da planta industrial localizada em Duque de Caxias, RJ, a partir de 30 de outubro de 2020.

 

A decisão faz parte do processo de otimização de plantas e adequação da capacidade fabril da Companhia. A concentração das operações brasileiras em um número menor de fábricas vem contribuindo para a redução de custos e incremento da eficiência.

 

As melhorias operacionais alcançadas nos últimos anos permitirão que as plantas remanescentes tenham capacidade suficiente para absorverem a recuperação de volumes à medida que os mercados se regularizarem, em um cenário pós-pandemia.

  

Caxias do Sul, 2 de outubro de 2020.

 

 José Antonio Valiati

Diretor de Relações com Investidores

PLANTAS:

Modelo da Ciferal dos anos 1980, antes, portanto, da aquisição pela Marcopolo

A planta do Rio de Janeiro é especializada em ônibus urbanos com origem na antiga Ciferal, tradicional encarroçadora  do Estado, fundada em outubro de 1955 pelo imigrante austríaco Fritz Weissman. Em maio de 1999, a Marcopolo comprou a parte da RJ Administração e Participações S.A. na Ciferal, correspondendo a 50% das ações. A RJ Participações era formada por cerca de 200 empresas de ônibus do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Em abril de 2001, a Marcopolo comprou a outra parte da Ciferal passando a controlar assim integralmente a companhia. O nome Ciferal, que era a sigla de Comércio e Indústria de Ferro e Alumínio, deixou de ser utilizado definitivamente em 2013, quando foi adotada a nomenclatura Marcopolo Rio.

A área física da Marcopolo Rio é de  211.846 m² e a área construída: 74.484 m².

Já a fábrica de São Mateus , no Espírito Santo, é bem mais recente, começando as atividades em 2014, para atendimento dos mercados das regiões Norte e Nordeste do País com os miniônibus da marca Volare, pertencente à Marcopolo S.A.  Em 2019, foi oficializada a produção de ônibus escolares e também de carrocerias urbanas da Marcopolo para chassis de motor dianteiro.

A área física da planta de São Mateus é de 822.000 m², com área construída de 65.547 m²

FUNCIONÁRIOS E PRODUÇÃO:

Uma parte dos funcionários da unidade Marcopolo em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro-RJ está sendo remanejada para a planta de São Mateus, no Espírito Santo.

A informação é da própria fabricante em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte na tarde desta sexta-feira, 02 de outubro de 2020.

Na nota-resposta, a Marcopolo não informou a quantidade de funcionários transferidos, mas disse que os trabalhadores demitidos irão receber alguns benefícios além dos previstos em lei.

“Alguns colaboradores foram remanejados para a unidade São Mateus e os demais serão desligados.  Além de todos os encargos previstos em lei, a empresa está oferecendo como benefícios adicionais: 8 meses de plano de saúde, 4 meses de vale alimentação, cesta de final de ano  e brinquedos de natal aos filhos dos colaboradores.” – diz trecho da nota.

Ainda em reposta ao Diário do Transporte sobre os ônibus que começaram a ser feitos no Rio de Janeiro, a Marcopolo informou que a produção será absorvida pelas plantas de São Mateus, no Espírito Santo e Caixas, no Rio Grande do Sul.

“A demanda de produção será absorvida tanto pela unidade São Mateus quanto pelas plantas de Caxias do Sul, de acordo com a eficiência operacional e a estratégia comercial de acordo com cada negócio.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Roberto Barreto disse:

    Enquanto os governadores são habitués de cadeias o Rio vira apenas depositário dos pobres do brasiu,onde a única coisa que cresce são as favelas e o lixo humano que elege bandidos,num processo de degradação do Estado.

  2. Gláucio oliveira disse:

    Muito triste ver uma cidade e estado lindo nessa situação degradante. Que já foi capital federal. E tá certo marcopolo sair dessa areia movediça que virou para não afundar junto. Lamentável

  3. Levy Bueno disse:

    As empresas Brasileira tem que aprender a se manter com o seu capital não e esperar dinheiro do governo incentivos e vantagem quando a marcopolo comprou a ciferal tinha uma divida grande que foi negociada pela marcopolo so Deus sabe como pelos antigo donos a ciferal seria dos empregados que só levou a pior trabalhou que nem escravo e não arrumou nada tudo ja vinha sendo preparado a longo praso o sindicato querendo ser imdependente isso ja seria uma estratégica da impresa com o cindicato cambada de traidores não moveram uma palha a favor do pião esta e a linguagem eu posso ter este pensamento porgue eu me aposentei nesta empresa a marcopolo e uma e uma ecelente empresa mais muitos que estão no comando não deveria ali estar uma boa noite a todos os companheiros fiquem com Deus para os justos nunca faltara o pão.

  4. Levy Bueno disse:

    Publicada a verdade .

  5. Brasiu ! cindicato !!! é de mais eu ler isto.. o Brasil precisa ser estudado.

  6. Paulo Roberto disse:

    Brinquedos de Natal para os filhos dos dedicados trabalhadores demitidos?
    .

  7. André Luiz Dos Santos Linhares disse:

    Bom dia, mais uma vez nossos governantes incompetentes e corruptos deixam a massa trababalhadora na mão , o nosso país precisa de mais seriedade quando o assunto é emprego não sei onde vamos parar é a decadência total de um estado falido, nós Cariocas não merecemos isso, nós queremos respeito, coisas que pelo visto não fazem mais parte dos nossos governantes 😩

  8. Joel Pereira disse:

    Fique em casa, a economia a gente vê depois. É, o depois chegou para os imbecis que acreditaram nisso.

  9. Marco dias disse:

    💙💙💙 À MARCOPOLO VAI SAIR DO RIO !!! MAIS TODO ESTADO DO NÃO DEIXARAM DE COMPRAR OS SEUS ÔNIBUS . RESPEITA O RIO QUE É O SEGUNDO OU TERCEIRO QUE COMPRA MAIS ÔNIBUS DE VCS MARCOPOLO.

  10. Jorge Luiz de Azevedo disse:

    Trabalhei como advogado da CIFERAL entre 1979 até 1982, quando foi decretada a falência, assim posso afirmar que era a maior empresa metalúrgica carioca, líder do mercado de ônibus urbanos, intermunicipais e principalmente fabricante dos ônibus Cometa, além de internacionais e ônibus elétricos…o Governo Estadual fez tudo para prejudicar os negócios dela e Marcopolo sempre fez de tudo para prejudicar a maior e imbatível concorrente!!!!
    Jorge Luiz de Azevedo – OAB/RJ 32.785

  11. Reinaldo pitar disse:

    Uma pena o Rio de Janeiro perder uma grande montadora , infelizmente ..

  12. Gleber Beccari disse:

    Não estam nem aí p o pai de família que vai perder o emprego, a empresa não informou qnts empregados está sendo transferido, mas c certeza é um ou outro da parte de diretoria, e p o peão 4cesta, 8 meses de convênio q c toda certeza já estava em contrato com a administradora do convênio , brinquedos e cesta de Natal que tbm c toda certeza a esta altura do campeonato já estava comprada , resumindo, ela não está dando nada , não está remanejando ninguém e pé na bunda do peão e lucro p os acionistas , Brasil véio que não muda…….não tem politica séria na área do emprego, aliás nem o ministério do emprego existe mais ,foi ligado ao
    ministério da economia que já é uma porcaria haja visto como anda a economia no Brasil, imagina o emprego, fora Paulo Guedes

  13. Aluisio timbo disse:

    Continuem fazendo vista grossa para esses malditos aplicativos ,levaram os taxistas a falência e agora estão levando as empresas de ônibus, sem contribuir com imposto para o Brasil.
    ALUISIO

  14. Luciana martins disse:

    Que tristeza! Tenho um filho autista de 9 anos e ele é louco pelos ônibus da empresa, gostaria muito de levar ele para conhecer antes de fechar.

  15. Francisco Costa Neto disse:

    Por acaso essa fábrica era onde funcionou a antiga FNM e Fiat-IVECO?

  16. Miguel disse:

    Isso é o livre mercado, que muitos defendem como a salvação do mundo! Aos que estão de choradeira, a empresa faz o que achar melhor por si e por seus acionistas. O resto é mimimi…

Deixe uma resposta