TCE cobra explicações de Mairiporã sobre contratação da Eduardo Medeiros para transportes coletivos

Ônibus da EMT em Mairiporã

Prefeitura terá 15 dias para apresentar justificativas após fiscalização do órgão de contas, que apontou indícios de irregularidades no contrato

ADAMO BAZANI

O TCE – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo deu 15 dias para a prefeitura de Mairiporã, na Grande São Paulo, explicar possíveis irregularidades na contratação emergencial da EMT – Eduardo Medeiros Transportes no lugar da ETM – Empresa de Transportes Mairiporã.

São dois despachos do conselheiro-substituto Alexandre Manir Figueiredo Sarquis que foram publicados no Diário Oficial do Estado de São Paulo desta quarta-feira, 30 de setembro de 2020.

Em um destes despachos, o TCE dá 30 dias para que sejam tomadas “medidas adequadas ao saneamento das irregularidades”, que podem prejudicar os cofres públicos e o interesse geral do município.

Em outro despacho, o órgão de contas pede que a prefeitura e a Eduardo Medeiros em 15 dias a partir da publicação dessa quarta-feira, 30, apresentem justificativas pertinentes e provas documentais sobre a regularidade da contratação emergencial.

Segundo o TCE, o valor do contrato com a Eduardo Medeiros é de R$ 8,8 milhões (R$ 8.840.851,14), com vigência de 25 de agosto de 2020 a 20 de fevereiro de 2021.

Como mostrou o Diário do Transporte em 01º de agosto de 2020, constam como sócios da empresa; Eduardo Medeiros, na condição de sócio-administrador, e Fátima de Falco Gimenes Medeiros. O endereço informado oficialmente da Eduardo Medeiros é Travessa dos Itaubas, 4, região do Jabaquara, zona Sul da Capital Paulista. Uma captura do Google Street View de março de 2019 mostra um endereço residencial. A rua é estreita, havendo dificuldades até para uma simples circulação de ônibus.

Imagens de ônibus com adesivos da Otrantur, usados pela empresa operadora das linhas municipais de São Vicente, no Litoral de São Paulo, surgiram como possíveis integrantes da frota para os serviços em Mairiporã que também deve ser atendida por vans e micro-ônibus.

Questionada pelo Diário do Transporte por diversas vezes a respeito dos veículos, a prefeitura de Mairiporã não respondeu na oportunidade.

Relembre publicação com os documentos oficiais:

https://diariodotransporte.com.br/2020/08/01/por-dispensa-de-licitacao-mairipora-contrata-empresa-de-onibus-para-operar-linhas-municipais/

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Jose freitas disse:

    Com os ajustes …

    preciso me atentar antes de escrever comentário que essa notícia não foi invenção do site, são dois despachos que estão no Diário Oficial do Estado de São Paulo, são públicos, estão para todos verem e é uma notícia como qualquer outra para o portal

    preciso me atentar sobre o que é militância por empresa A, B ou C ou uma notícia pública, como foi esta, nos que utilizamos a transporte merecemos respeito

Deixe uma resposta para Jose freitas Cancelar resposta