TNSG contesta laudos da prefeitura de Cachoeira do Sul sobre situação precária de ônibus

Publicado em: 24 de setembro de 2020

Transportes Nossa Senhora das Graças opera o transporte coletivo urbano de Cachoeira do Sul. Foto: Rodrigo Ribeiro

Transportadora contratou empresa própria, que não é reconhecida pela administração municipal, e decidiu não enviar veículos para vistoria realizada pelo município

ALEXANDRE PELEGI

Uma briga de laudos…

É desta forma que se pode descrever o que acontece atualmente m Cachoeira do Sul, cidade do interior do Rio Grande do Sul com mais de 80 mil habitantes.

A disputa se dá entre a prefeitura do município e a empresa de transporte Nossa Senhora das Graças (TNSG), atual concessionária do transporte público.

Nessa quarta-feira, 23 de setembro de 2020, a TNSG não encaminhou para a fiscalização seis ônibus da empresa, que deveriam ser vistoriados pelo engenheiro Robison Weber, contratado pelo Município para essa finalidade.

A prefeitura, em resposta à posição da TNSG, determinou a imediata retirada de circulação desses veículos, segundo informa o Jornal do Povo (RS).

A TNSG – concessionária do transporte público urbano de Cachoeira do Sul alega ter resultados positivos após a realização de vistorias particulares em sua frota de 34 ônibus.

A viação contratou a vistoria da empresa Preveisul que, segundo informa, é referência estadual na atividade.

A checagem contratada pela TNSG chegou a resultados diferentes da vistoria realizada pela prefeitura, atestando que os veículos estão aptos a rodar.

De sua parte, a prefeitura exige que o laudo seja resultado das vistorias feiras por Weber, contratado por licitação no fim do ano 2019, após uma série de problemas mecânicos com os ônibus da TNSG.

Agora, com seis ônibus proibidos de operar, a frota da TNSG está reduzida a 16 ônibus, dos quais seis estão com vistoria marcada para esta quinta-feira, 24.

Em entrevista ao Jornal do Povo, o diretor operacional da TNSG, Waldir Souza, garantiu que a empresa utiliza atualmente 17 ônibus por dia, sendo 12 no transporte urbano e outros cinco nas linhas intermunicipais.

Com a notificação da prefeitura de que mais seis ônibus estão proibidos de operar, a frota passou para 16 coletivos, o que representa um a menos do que o necessário para que todas as linhas e horários possam ser atendidos.

SITUAÇÃO

A Transporte Nossa Senhora das Graças opera o transporte na cidade há 66 anos sem licitação.

O Ministério Público vem acompanhando os graves problemas da empresa, origem de uma ação civil pública que tramita desde 1999.

Uma decisão judicial do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, inclusive, determinou a abertura de processo licitatório.

Como mostrou o Diário do Transporte, a prefeitura publicou aviso de licitação no Diário Oficial da União do dia 1º de novembro, marcando a sessão pública para abertura de propostas para 09 de dezembro. Relembre: Prefeitura de Cachoeira do Sul (RS) publica edital do transporte público

A concorrência, no entanto, foi suspensa por liminar obtida pela Transporte Nossa Senhora das Graças junto ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul. O processo está paralisado.

Na primeira rodada de vistoria, em janeiro de 2020, constatou-se que 12 ônibus da frota da TNSG estavam sem condições de circular, o que causou a diminuição de linhas e horários, prejudicando o atendimento da cidade.

Com a pandemia, a frota reduzida tem sido suficiente, mas a qualidade dos ônibus tem sido avaliada de perto pela empresa contratada pela prefeitura.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta