Greve dos trabalhadores do transporte em Maringá chega ao sexto dia

Publicado em: 21 de setembro de 2020

Foto: Terminal Urbano de Maringá. Reprodução TV/Globo Paraná

Sindicato informa que pelo menos 70% dos motoristas estão trabalhando nesta segunda-feira

ALEXANDRE PELEGI

A greve do transporte público em Maringá, no Paraná, entra no sexto dia nesta segunda-feira, 21 de setembro de 2020.

Em cumprimento à liminar da Justiça do Trabalho, o Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários de Maringá (Sinttromar) garante que 70% da frota está em operação nesta segunda-feira.

Para reforçar a liminar, que não estava sendo cumprida pelos trabalhadores, o vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, do Paraná, desembargador Célio Horst Waldraff, autorizou na tarde de sexta-feira, 18, o uso de força policial para garantir o cumprimento de 70% da frota durante a greve.

Fiscais da Justiça do Trabalho estão desde sábado no Terminal Urbano da cidade para acompanhar e garantir a frota mínima determinada.

Os trabalhadores pedem reposição das perdas inflacionárias e PLR – Participação nos Lucros e Resultados.

Ao longo das negociações, a categoria teria concordado em receber a PLR em outro momento, desde que a reposição pela inflação fosse feita.

As empresas de ônibus que operam na cidade, TCCC – (Transporte Coletivo Cidade Canção) e Cidade Verde, entretanto, afirmaram que, por causa da queda no número de passageiros não têm condições de realizar as perdas inflacionárias.

A Cidade Verde, que opera no transporte metropolitano, pede ajuda financeira ao Governo Estadual, em função dos impactos causados pela pandemia, que resultaram em forte queda na demanda de passageiros.

Já a TCCC chegou a entrar na Justiça contra a prefeitura para repor as perdas, que ocasionaram forte desequilíbrio do contrato de concessão. Após vitória em primeira instância, o Superior Tribunal de Justiça suspendeu a decisão, que obrigava prefeitura de Maringá a pagar R$ 3,9 milhões à empresa de ônibus. Relembre: STJ suspende decisão que obrigava prefeitura de Maringá a pagar R$ 3,9 milhões à TCCC

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta