CPI para verificar irregularidades no transporte escolar de São Paulo tem reunião marcada para quarta-feira (23)

Publicado em: 19 de setembro de 2020

A foto é meramente ilustrativa e por isso o micro-ônibus foi descaracterizado

Alesp quer ouvir presidente da EMTU e diretores de regionais de ensino na região metropolitana

ADAMO BAZANI

Na próxima quarta-feira, 23 de setembro de 2020, será realizada na Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo uma reunião dos deputados que integram a CPI do Transporte Escolar na região metropolitana e no interior.

Os parlamentares receberam e apuram denúncias de diversas irregularidades tanto na prestação de serviços (paralisados atualmente por causa da pandemia que suspendeu as aulas) e nas contratações para operação, com suspeita de favorecimentos ilícitos.

Sobre a circulação das vans, micro-ônibus e ônibus escolares, os deputados também apuram problemas relacionados à pontualidade, frequência, conduta dos prestadores de serviços e conservação dos veículos.

“Comissão Parlamentar de Inquérito constituída com a finalidade de “investigar irregularidades na contratação, fiscalização e prestação de serviços de transporte escolar, no âmbito do Estado de São Paulo, diante do grande número de denúncias de más condições dos serviços, em especial nos últimos anos” – diz trecho da convocação.

A CPI foi instaurada neste ano e teve a primeira reunião em 16 de julho.

Os parlamentarem querem ouvir o presidente da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, Marco Antônio Assalve e diretores de ensino que atuam na Grande São Paulo:

– Edson Donizetti Porto, dirigente da Diretoria de Ensino da Região de Mauá, com jurisdição nas cidades de Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra;

– Vanderlete Maria Lozano Chiuffa Correra, dirigente da Diretoria de Ensino da Região de São Bernardo do Campo, com jurisdição nas cidades de São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul;

– Maria Silvia Bioto, dirigente da Diretoria de Ensino da Região de Suzano, com jurisdição nas cidades de Suzano e Ferraz de Vasconcelos;

– Daniel Medeiros, Coordenador de Infraestrutura e Serviços Escolares da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Nenhuma dessas pessoas é acusada de irregularidades até o momento e a convocação é para esclarecimentos de dúvidas.

Os parlamentares também querem que o TCE  – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e o Ministério Público do Estado de São Paulo informem se estão apurando também eventuais irregularidades no transporte escolar.

Fazem parte da CPI os deputados: Adalberto Freitas – PSL, Luiz Fernando T. Ferreira – PT, Barros Munhoz – PSB, Mauro Bragato – PSDB, Rodrigo Moraes – DEM, Daniel José – NOVO e Delegado Olim – PP.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta