Transporte intermunicipal é liberado em 303 cidades da Bahia

Publicado em: 15 de setembro de 2020

Ônibus do transporte rodoviário na cidade de Bom Jesus da Lapa. Foto: Carlos Henrique/Ônibus Brasil

Governo do Estado alterou a relação após análise da taxa de ocupação dos leitos de UTI

WILLIAN MOREIRA

O Governo do Estado da Bahia retirou 303 municípios da medida que restringe o transporte intermunicipal. As alterações vêm após uma redução na taxa de ocupação dos leitos de UTI.

Apesar da liberação na maior parte do estado, 27,3% das cidades ainda estão afetadas, um total de 114.

Na atualização do Decreto Estadual 19.586 as seguintes localidades receberam a liberação de entrada e saída de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans:

Abaíra, Abaré, Acajutiba, Adustina, Água Fria, Amargosa, Anagé, Andaraí, Andorinha, Angical, Anguera, Antas, Antônio Gonçalves, Aporá, Aracatu, Araci, Baianópolis, Baixa Grande, Banzaê, Barra, Barra da Estiva, Barra do Choça, Barra do Mendes, Barreiras, Barro Alto, Barrocas, Belo Campo, Biritinga, Boa Vista do Tupim, Bom Jesus da Lapa, Bom Jesus da Serra, Boninal, Bonito, Boquira, Botuporã, Brejolândia, Buritirama, Cabaceiras do Paraguaçu, Caém, Cafarnaum, Caldeirão Grande, Campo Alegre de Lourdes, Campo Formoso, Canápolis, Canarana, Candeal, Cansanção, Canudos, Capela do Alto Alegre, Capim Grosso, Cardeal da Silva, Carinhanha, Casa Nova, Castro Alves, Catolândia, Central, Chorrochó, Cícero Dantas, Cipó, Cocos, Conceição do Coité, Conde, Contendas do Sincorá, Coribe, Coronel João Sá, Correntina , Cotegipe, Crisópolis, Cristópolis, Curaçá, Dom Basílio, Elísio Medrado, Entre Rios, Érico Cardoso, Esplanada, Euclides da Cunha, Fátima, Feira da Mata, Filadélfia, Formosa do Rio Preto, Gavião, Gentio do Ouro, Glória, Heliópolis, Iaçu, Ibicoara, Ibipeba, Ibititá, Ibotirama, Ichu, Igaporã, Inhambupe, Ipirá, Ipupiara, Iraquara, Irecê, Itaberaba, Itaetê, Itaguaçu da Bahia, Itapicuru, Itatim, Itiúba, Ituaçu, Jaborandi, Jacobina, Jaguarari, Jaguaquara, Jandaíra, Jequié, Jeremoabo, Jiquiriçá, João Dourado, Juazeiro, Jussara, Jussiape, Lafaiete Coutinho, Laje, Lajedinho, Lajedo do Tabocal, Lamarão, Lapão, Lençóis, Licínio de Almeida, Livramento de Nossa Senhora, Luís Eduardo Magalhães, Macajuba, Macururé, Mairi, Malhada, Mansidão, Maracás, Marcionílio Souza, Miguel Calmon, Milagres, Mirangaba, Monte Santo, Morpará, Morro do Chapéu, Mucugê, Mulungu do Morro, Mundo Novo, Muquém do São Francisco, Mutuípe, Nilo Peçanha, Nordestina, Nova Fátima, Nova Ibiá, Nova Redenção, Nova Soure, Novo Triunfo, Olindina, Oliveira dos Brejinhos, Ouriçangas, Ourolândia, Palmeiras, Paratinga, Paripiranga, Paulo Afonso, Pé de Serra, Pedro Alexandre, Piatã, Pilão Arcado, Pindobaçu, Pintadas, Piraí do Norte, Piripá, Piritiba, Ponto Novo, Presidente Dutra, Presidente Tancredo Neves, Queimadas, Quijingue, Quixabeira, Rafael Jambeiro, Remanso, Retirolândia, Riachão das Neves, Riachão do Jacuípe, Riacho de Santana, Ribeira do Amparo, Ribeira do Pombal, Rio de Contas, Rio do Pires, Rio Real, Rodelas, Ruy Barbosa,  Salinas da Margarida, Santa Bárbara, Santa Brígida, Santa Inês, Santa Maria da Vitória, Santa Rita de Cássia, Santa Teresinha, Santaluz, Santana, Santanópolis, São Desidério, São Domingos, São Félix do Coribe, São Gabriel, São José do Jacuípe, São Miguel das Matas, Sapeaçu, Sátiro Dias, Saúde, Seabra, Senhor do Bonfim, Sento Sé, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Serra Preta, Serrinha, Serrolândia, Sítio do Mato, Sítio do Quinto, Sobradinho, Souto Soares, Taperoá, Tanque Novo, Tanquinho, Tapiramutá, Teofilândia, Teolândia, Terra Nova, Tucano, Uauá, Ubaíra, Uibaí, Umburanas, Utinga, Valença, Valente, Várzea da Roça, Várzea do Poço, Várzea Nova, Varzedo, Wagner, Wanderley e Xique-Xique.

Para as cidades que se mantém na lista com as medidas restritivas, o Decreto foi prorrogado até 27 de setembro de 2020.



Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta