Incêndio destrói estação Arroio Pavuna do BRT Rio

Publicado em: 13 de setembro de 2020

Local ficou completamente destruído. Foto: Divulgação / BRT Rio.

De acordo com o Consórcio, foi um ato criminoso

JESSICA MARQUES

Um incêndio destruiu completamente a estação Arroio Pavuna, no corredor Transcarioca do BRT do Rio de Janeiro. A ocorrência foi registrada na manhã deste domingo, 13 de setembro de 2020.

De acordo com o Consórcio BRT Rio, o incêndio teria sido provocado por um grupo de pessoas que queimou o forro da estação para furtar a fiação. Os cabos externos de energia também foram levados.

A Arroio Pavuna é uma das 35 estações que estão fechadas devido a vandalismo e furtos de equipamentos. Desde abril, cerca de 100 estações foram alvo de vândalos e bandidos.

Precisamos urgentemente do apoio intensificado das forças policiais e da Guarda Municipal para o patrulhamento das estações, que são um bem público. É um patrimônio do município que está sendo destruído pela ação desenfreada de bandidos, acarretando prejuízos diretos para a população que precisa do BRT”, afirmou o presidente executivo do BRT Rio, Luiz Martins, em nota.

Além disso, 18 estações já passaram por reformas nos últimos meses. segundo o consórcio. As obras incluem o fechamento do acesso ao forro e à cobertura, pintura, nova rede elétrica, reforço na iluminação e sinalização.
“A nova estrutura que vem sendo utilizada na revitalização impede que ambulantes e moradores de rua guardem objetos na parte superior da estação, além de proteger o cabeamento elétrico. A iluminação também é reforçada com mais refletores”, detalhou o Consórcio.

Confira a lista das estações que seguem fechadas por furtos e vandalismo, divididas por corredor:

Corredor Transoeste: Riomar, General Olímpio, Cajueiros, Vendas de Varanda, Embrapa, Dom Bosco, Recanto das Garças, Guiomar Novaes, Nova Barra, Benvindo de Novaes, Guignard, Gelson Fonseca, Golfe Olímpico e Bosque da Barra;

Corredor Transolímpica: 
Catedral do Recreio, Tapebuias, Outeiro Santo e Minha Praia;

Corredor Transcarioca: Praça do Bandolim, Recanto das Palmeiras, André Rocha, Pinto Teles, Vila Queiroz, Marambaia, Vila Kosmos, Praça do Carmo, Ibiapina, Rede Sarah, Santa Luzia, Guaporé, Cardoso de Moraes, Olaria, Pedro Taques, Divina Providência e Arroio Pavuna.

Além dessas, 20 do eixo da Cesário de Melo, no corredor Transoeste, e a estação Otaviano, no Transcarioca, foram desativadas em 2018 por causa de violência e destruição do patrimônio público. Ainda não há previsão de reabertura delas.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Antonio palacio disse:

    BRT, abandona isso aí. Já que o estado não defende, larga de lado, sai fora.

Deixe uma resposta